Mais Lidas

OPERAÇÃO MARUEIROS

Em Alagoas, PF apura derrame de diplomas que favorecia prefeituras

Certificados falsos garantiam contratos em duas prefeituras

acessibilidade:

A Superintendência Regional da Polícia Federal em Alagoas desencadeou, nesta quinta-feira (17) a Operação Marueiros, com o cumprimento de mandados de busca e apreensão e condução coercitiva, expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital, da Justiça Estadual de Alagoas, nos municípios de Campo Alegre-AL e Teotônio Vilela-AL.

O alvo da PF é o derrame de certificados falsos de supostamente emitidos pela Escola Municipal de Ensino Médio Felizardo Lima, situada no povoado campo-alegrense de Luziápolis. O inquérito policial instaurado apura se tais certificados teriam sido utilizados para obtenção de vínculos empregatícios temporários junto às Prefeituras de Campo Alegre e Teotônio Vilela.

Alvos dos mandados foram conduzidos para sede da PF em MaceióO Diário do Poder apurou que a escola suspeita de emitir diplomas falsos já não atua no ensino médio, desde 2005. E atualmente presta apenas o serviço público apenas com turmas de ensino fundamental.

Um efetivo de 35 policiais federais  foi utilizado para cumprir os nove mandados de busca e apreensão e oito de condução coercitiva expedidos. E o material arrecadado está sendo levado à sede da PF em Maceió, no Bairro de Jaraguá, para análise posterior, segundo informou a Superintendência da PF de Alagoas.

Marueiros é uma referência ao boi solto na caatinga, que é perseguido por vaqueiros para ser derrubado nas pegas de boi tradicionais do sertão nordestino.

Os municípios alvos da ação da PF são administrados pelos prefeitos aliados do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), os irmãos Joãozinho Pereira (PMDB), de Teotônio Vilela, e Pauline Pereira (PMB), de Campo Alegre.

O Diário do Poder manteve contato com as assessorias das prefeituras envolvidas na ação policial e aguarda seus posicionamentos.