Fica para amanhã

Eleição na Câmara interfere na CCJ e Cunha ganha mais um dia

Eleição foi remarcada para às 17h30 e CCJ foi convocada para amanhã às 09h

acessibilidade:

A conclusão do imbróglio envolvendo a cassação do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deve ficar para agosto.

A sessão para eleição do novo presidente, que chegou a ser adiada para às 19h, dando prazo maior para a conclusão das discussões e votação do recurso de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Comissão de Constituição e Justiça, recebeu muitas críticas dos aliados de Cunha.

O horário foi alterado novamente, mas, desta vez, houve antecipação para às 17h30, deixando praticamente inviável a votação do recurso na CCJ.

Até o momento, quatro deputados retiraram a candidatura: Heráclito Fortes (PSB-PI), Maria do Rosário (PT-RS), Beto Mansur (PRB-SP) e Fausto Pinato (PP-SP). Permanecem na disputa 14 deputados. 

Processo eleitoral

 

Cada candidato terá 10 minutos para defender suas propostas no Plenário, na ordem do sorteio realizado no início da tarde. Depois disso, terá início o processo de escolha do novo presidente, por meio de votação secreta, registrada nas urnas eletrônicas instaladas no Plenário.

Se nenhum deputado obtiver a maioria dos votos dos deputados presentes no primeiro turno, o segundo turno entre os dois mais bem votados acontecerá uma hora depois do encerramento da primeira votação, e cada candidato terá novamente 10 minutos para falar. Então, quem tiver maior número de votos será eleito. Em caso de empate, será eleito o candidato mais idoso dentre os de maior número de legislaturas na Casa.