Mais Lidas

Hermano envolvido

Diretor da Inteligência argentina passa a ser investigado na Lava Jato

Gustavo Arribas é acusado de receber propina em esquema de lavagem de dinheiro

acessibilidade:

O diretor da Agência Federal de Inteligência da Argentina, Gustavo Arribas, passou a ser investigado pela Polícia Federal (PF) no âmbito da operação Lava Jato com base em depoimentos dos doleiros Alberto Youssef e Leonardo Meirelles. Arribas é suspeito de ligação a esquema criado pelo Consórcio Soma, de produtos de limpeza, que usava empresas de fachada para desviar recursos, tendo se beneficiado de uma transferência de US$ 850 mil (R$ 2,7 milhões).

De acordo com o delegado Victor Hugo Ferreira, eram emitidas notas falsas para legalizar o dinheiro e no caso de Arribas, o recurso "saiu do Brasil, passou por uma conta em Hong Kong e foi parar na Argentina, em uma conta ligada ao diretor de Inteligência daquele país".

No acordo de delação, Meirelles afirmou que Arribas teria recebido cinco transferências. Em 2017, o diretor foi acusado de receber propinas da empreiteira brasileira Odebrecht, assim como o presidente argentino, Mauricio Macri. (Com Ansa)