Eleições 2014

Dilma pede, mas secretário de portos não aceita continuar no cargo

Dilma pede, mas ministro dos Portos não aceita continuar no governo

acessibilidade:

Fazendo as vezes de articulador político do governo e dizendo falar em nome da presidenta Dilma Rousseff, o ministro Aloizio Mercadante (Educação) telefonou a José Leônidas Cristino, ministro-chefe da Secretaria de Portos, fazendo-lhe um apelo para permanecer no cargo, após a decisão do Partido Socialista Brasileiro (PSB) de entregar os cargos de que dispunha no governo federal. Mas Cristino recusou o apelo dizendo “seguir a orientação” do governador do Ceará, Cid Gomes, que é filiado ao PSB. “Ele me mandou entregar o cargo e atendi prontamente”, disse ele a Mercadante.

José Leônidas Cristino foi surpreendido, em plena viagem oficial ao Panamá, pela decisão do PSB de abandonar o governo Dilma. Essa iniciativa foi liderada pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que é o presidente nacional do partido e pré-candidato à sucessão presidencial. Com a entrega dos cargos, “o PSB ficará à vontade  para lançar candidato próprio a presidente”, justificou Campos.

Eduardo Camos tomou essa decisão também o com o objetivo de colocar “o bloco na rua” e conter a evasão de apoiantes, que começavam a se entusiasmar com a pré-cabdidatura presidencial de Aécio Neves (PSDB), senador por Minas Gerais.