Para cima do PSDB

Dilma cria frente para apurar fraude na merenda em SP

Planalto não resolve problemas internos e do PT, mas quer investigar tucanos

acessibilidade:

O governo federal criou na noite de ontem, 27, uma “força-tarefa” para intensificar a fiscalização de desvios de recursos públicos na Educação, sobretudo, os destinados a merenda e transporte escolar, em São Paulo.

O lançamento acontece pouco mais de uma semana após a deflagração da Operação Alba Branca, que investiga suspeitas de fraudes na venda de produtos para merenda escolar em prefeituras de São Paulo. As denúncias envolvem o presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB), e o secretário estadual de Transportes do governo de Geraldo Alckmin (PSDB), Duarte Nogueira.

De acordo com a investigação conjunta da Polícia Civil e do Ministério Público paulista, os tucanos teriam sido beneficiários de propinas do esquema. Investigados também citaram como participante da organização criminosa Luiz Roberto dos Santos, o “Moita, que foi chefe de gabinete de Edson Aparecido, secretário da Casa Civil de Alckmin. Santos foi exonerado um dia antes de a operação ser deflagrada, 19 de janeiro.

O governo federal afirma que a intenção é aumentar o número de auditorias de gestões municipais, para tentar detectar novas fraudes e, assim, realizar mais operações em parceria com a Polícia Federal, para prender tantos agentes públicos como privados envolvidos nos delitos. A “força-tarefa” foi criada nesta quarta-feira por meio de portaria interministerial da Controladoria-Geral da União (CGU) e os ministérios da Justiça e da Educação.

O ministro-chefe interino da CGU, Carlos Higino Ribeiro de Alencar, disse que o órgão vai mobilizar mais servidores para intensificar as auditorias e, assim, tentar ampliar o número de operações em parceria com a PF.

A Polícia Federal tratará a “força-tarefa” como prioridade, afirmou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Para ele, é “inaceitável” que milhões de reais sejam desviados de áreas como saúde e educação. “Portanto, não pouparemos esforços para que, respeitando o direito de ampla defesa e comprovando que são culpas, vamos punir os responsáveis”, disse.

A avaliação do Palácio dos Bandeirantes é que a criação da força-tarefa do governo federal tenha a finalidade de dividir as manchetes com a Operação Triplo X, que chega mais perto do ex-presidente Lula.

Reportar Erro