Agora ou ganha ou vai embora

Confira o balanço desses primeiros 15 dias da Copa do Mundo

Com a definição dos 16 times classificados, começa a fase do perdeu vai embora

acessibilidade:

 

A Copa do Mundo de 2014 não é apenas a Copa do Brasil, mas é também a Copa da América. Prova disso é que metade dos 16 times classificados para as oitavas de final são americanos: Brasil, Chile, Colômbia, Uruguai, Argentina, Estados Unidos, México e Costa Rica. Assim, só duas seleções das Américas foram eliminadas na primeira fase: Honduras e Equador, que estavam ambas no Grupo E, do qual passaram França e Suíça.

O desempenho das Américas na Copa de 2014 é o melhor da história dos Mundiais. Em 2010, foram sete classificados para as oitavas – na ocasião estava o Paraguai, que este ano deu lugar a Colômbia e Costa Rica. Como comparação, haviam chegado às oitavas quatro times americanos em 2006 e apenas três em 2002. Na última Copa jogada no continente, em 1994, nos Estados Unidos, quatro times americanos avançaram.

Por outro lado, o desempenho dos europeus manteve a média baixa registrada em 2010. Naquele Mundial, como neste, apenas seis times da Europa chegaram às oitavas de final, menos da metade das 13 seleções que o continente leva à Copa. Tradicionalmente a Europa é quem mais classifica às oitavas: foram 10 times em 2006, 1998 e 1994 e nove em 2002.

Depois de classificar dois times às oitavas na África do Sul (Japão e Coreia do Sul), a Ásia fez feio no Brasil e suas quatro equipes não conseguiram uma vitória sequer. Por fim, a África ainda tem dois times vivos (Argélia e Nigéria), algo que nunca havia conseguido fazer. Desde 1986, quando a Copa passou a ter mata-mata já nas oitavas, os africanos sempre classificavam apenas um time por edição.

Média de gols

Com o fim da primeira fase, a Copa do Mundo do Brasil segue comemorando a alta média de gols. Até aqui, com a conclusão de 48 jogos, foram marcados 136 gols, o que gera uma média de 2,83 gols por partida, número 21% superior ao que foi visto no Mundial de 2010, na África do Sul, quando a média foi de 2,26 gols por jogo.

De forma geral, a média de gols da Copa de 2014, até aqui, é a oitava maior entre as 20 edições do Mundial da Fifa. Ela supera inclusive a da Copa do Mundo de 1982, quando foi registrada média de 2,80, ficando atrás da edição de 1970, vencida pelo Brasil, que teve média de 2,96. Até 1958, a média era bem mais alta. Naquele ano, foi de 3,6 gols por jogo, tendo atingido 5,38 em 1954.

Com mais 16 jogos a serem realizados, a Copa do Mundo do Brasil está a apenas nove gols de igualar os 145 gols marcados nos mesmos 64 jogos na África do Sul, em 2010. Com mais 11 gols, já iguala o Mundial da Alemanha, em 2006. Para superar a Copa da França, em 1998, a de melhor média de gols desde que a competição passou a ter 32 times, serão necessários 35 gols nas 16 partidas que restam.

Quem mais colaborou para o alto número de gols na Copa foi a Holanda, que marcou 10 gols, seguida de Colômbia (nove), Brasil, França, Alemanha e Suíça (sete). Camarões, Honduras e Irã só balançaram as redes uma vez cada.

Disciplina

Outra boa notícia da Copa do Mundo do Brasil é que o Mundial é o que tem menos cartões desde 1986. Historicamente, entre 1970 (quando o cartão amarelo foi implementado) até 2006, o crescimento na média aconteceu em todas as edições, com exceção de 1978 e 1998. Agora, porém, a tendência é de queda.

Na Copa passada, na África do Sul, a média foi de 4,21 cartões por jogo, uma redução em relação ao recorde de 5,53 na Alemanha, em 2006. Agora, porém, a média caiu drasticamente, para 2,9 cartões por partida, sendo 0,2 vermelhos e 2,7 amarelos. AE

Reportar Erro