Mais Lidas

Crise zero

Comércio eletrônico cresceu 16% no primeiro semestre

Crescimento se deu devido ao crescimento do valor médio da compra

acessibilidade:

O comércio eletrônico faturou R$ 18,6 bilhões no Brasil no primeiro semestre de 2015, de acordo com dados da E-bit, empresa especializada em informações do setor. O montante representa um crescimento nominal de 16% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

De acordo com a pesquisa, a alta da receita foi gerada por um crescimento do tíquete médio de cada compra, em razão de aumento de preços e maior volume de vendas em categorias de produtos mais caros, como eletrodomésticos e telefones celulares. O tíquete médio no primeiro semestre foi de R$ 377, expansão de 13% ante os mesmos meses de 2014.

Ao considerar o número de pedidos, no primeiro semestre foram 49 4 milhões de compras por internet, aumento de 2,5% na comparação anual. Já o número de pessoas que fizeram pelo menos uma compra no primeiro semestre foi de 17,6 milhões, queda de 7% se comparado com o mesmo período de 2014.

Para o resultado total do ano de 2015, a E-bit prevê que o comércio eletrônico fature R$ 41,2 bilhões de janeiro a dezembro. O desempenho representa 15% de crescimento na comparação com 2014. O total de pedidos, na estimativa da pesquisa, pode chegar a 108,2 milhões este ano, aumento de 5% na comparação anual.