Mais Lidas

De volta à Lava Jato

Com tornozeleira, "Japonês da Federal" volta a escoltar presos

Newton Ishii cumpre pena por facilitar entrada de contrabando no país

acessibilidade:

O agente da Polícia Federal Newton Ishii, conhecido como “Japonês da Federal” por estar presente em muitas escoltas na Operação Lava Jato e ganhar fama, voltou a fazer atividades externas após ser condenado a 4 anos e dois meses por facilitação de contrabando na fronteira de Foz do Iguaçu (PR).

Com tornozeleira, o Japonês da Federal ressurgiu em Curitiba nesta segunda-feira, 5, escoltando o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, preso por ordem do juiz federal Sérgio Moro. Nesta terça-feira, 6, o agente escoltou o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula.

Ishii cumpre a pena no regime semiaberto harmonizado, ou seja, deve ficar em casa entre 23h e 5h durante a semana e está impedido de sair nos fins de semana. No dia em que colocou a tornozeleira, a PF havia dito que ele continuaria atuando na Superintendência, mas em um cargo interno.

De acordo com a PF, sobre a escolta de Bumlai, em especial, ele precisou substituir um funcionário que faltou.

Newton Ishii foi um dos 23 policiais federais alvos da Operação Sucuri, deflagrada em 2003 para apurar um esquema formado por agentes da PF e da Receita Federal que facilitava o contrabando de produtos ilegais na fronteira com o Paraguai em Foz do Iguaçu (PR).