Mais Lidas

Férias suspensas

Com R$4,1 bilhões de prejuízo, Correios cancelam férias até abril de 2018

Estatal explica que medidas de contingenciamento de despesa estão sendo tomadas por conta de um prejuízo de R$ 4 bilhões acumulado

acessibilidade:

Diretoria Executiva dos Correios divulgou nesta terça-feira (21), comunicado enviado aos funcionários na qual avisa que os servidores terão a concessão de férias suspensa até abril de 2018. No texto, a estatal explica que medidas de contingenciamento de despesa estão sendo tomadas por conta de um prejuízo acumulado em cerca de R$ 4 bilhões. “A situação financeira dos Correios exige ações imediatas para reerguer a empresa”, diz em nota.

A diretoria também suspendeu a convocação de empregados que gerem novas horas extras na empresa, mesmo nos finais de semana. Os diretores-executivos terminam o texto com "Contingenciamento de despesas" explicando que a situação financeira dos Correios "exige ações imediatas para reerguer a empresa".

Em nota divulgada na tarde desta terça-feira (21), a assessoria de comunicação dos Correios explicou os motivos da decisão tomada pela diretoria da estatal. “Em função da necessidade de redução de despesas dos Correios, estamos adotando medidas duras, que impactam no dia a dia de todos os trabalhadores, porém absolutamente necessárias para a recuperação da empresa, como a suspensão das horas extras e das férias pelo período de 12 meses. A partir do momento em que a empresa voltar ao equilíbrio, essas questões poderão ser revistas”.

Ação contra a medida

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos do Distrito Federal e Região do Entorno (Sintect/DF) afirmou logo após o comunicado dos Correios, que vai entrar com uma ação coletiva na Justiça contra as medidas anunciadas. Também foi dito que uma possível paralisação nacional não está descartada. 

Reportar Erro