Mais Lidas

Paz na Colômbia

Colômbia celebra acordo de paz com narcoguerrilheiros das Farc

Temer envia mensagem elogiando presidente colombiano

acessibilidade:

O acordo de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) foi assinado nesta segunda-feira (26) em Cartagena das Índias. O evento reuniu autoridades e chefes de Estado de todo mundo em uma cerimônia de mais de duas horas. Todos os presentes estavam vestidos de roupas brancas, a cor símbolo da paz.

Em mensagem divulgada pelo Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer destacou a “mensagem de confiança e de esperança” representada pelo acordo. “Confiança na capacidade do diálogo para superar os conflitos, por mais longos que sejam, por mais insolúveis que possam parecer. E esperança num futuro de paz, na nossa região e no mundo.”

Temer lembrou seu discurso, na abertura da Assembleia Geral da ONU, há uma semana, que ele depois reiterou ao presidente colombiano Juan Manuel Santos, no sentido de que “o governo brasileiro continuará cooperando para a paz” naquele país. “Estamos prontos a seguir contribuindo, em particular, nos temas de relevância direta para o pós-conflito, seja bilateralmente, seja por intermédio da ONU”, diz a mensagem do presidente brasileiro. 

Longa negociação
A paz na Colômbia chega após mais de três anos de negociações entre representantes do governo e rebeldes em Havana, capital de Cuba. O acordo põe fim ao último conflito armado da América Latina e um dos mais longos da história latina. De acordo com a Agência de NotíciasAnsa, o papa Francisco é considerado uma das peças-chave da negociação do acordo de paz.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou que o acordo de paz é a “melhor notícia em meio de um mundo convulsionado pela guerra e violência”. Santos destacou ainda que o as Farc seguirão como movimento político, sem uso de armas. “Trocar as armas por ideias: foi a decisão mais valente, mais inteligente”.

“O que assinamos hoje é uma declaração do povo colombiano para o mundo de que não aceitamos a guerra para defender nossas ideias. Não mais guerras. Não mais a violência, que gerou pobreza e desigualdade em campos e cidades e que tem sido um freio ao desenvolvimento da Colômbia”.

O líder das Farc, Rodrigo Londoño, conhecido como Timochenko, ressaltou que o acordo foi assinado de forma unânime entre os 207 guerrilheiros que debateram o documento durante a 10ª Conferência da guerrilha, realizado na cidade de El Diamante, sudeste colombiano.

“Esse é o dia que renascemos para entrar numa nova era de construção de paz. Que ninguém duvide que vamos hastear a política sem armas.Preparemos todos para desarmar as mentes e os corações. A chave está na implementação desse acordo e o povo colombiano será o principal responsável por garantir que nós vamos cumprir e esperamos que esse governo cumpra”, acrescentou Londoño.

“Que Deus bendiga a Colômbia. Acabou a guerra, estamos começando a fazer a paz”, completou o líder das Farc.

Após a assinatura, o povo colombiano irá às urnas no próximo domingo, 2 de outubro, para referendar o documento assinado entre governo e Farc. Pesquisas de opinião apontam que a maioria dos colombianos é favorável ao pacto de paz.