Mais Lidas

CALAMIDADE

Chuvas obrigam mais de 3 mil famílias a abandonar casas em Alagoas

Deslizamentos e enchentes danificam 22 municípios alagoanos

acessibilidade:

O município de Jacuípe amanheceu nesta segunda-feira (29) com casas inundadas pelas águas do rio que dá nome à cidade, incluindo mais de 600 famílias na lista de desabrigados em Alagoas. Segundo dados da Defesa Civil Estadual, são mais de 3 mil famílias atingidas, parte delas já foi retirada das casas inundadas, em perigo de desabamento ou em áreas de risco de deslizamento de encostas.

Já são 22 municípios afetados de alguma forma pelos temporais, com 553 famílias desabrigadas, 1.778 desalojadas e 750 relocadas de moradia, estas vítimas das inundações no município de Marechal Deodoro. Em Maceió, quatro pessoas morreram soterradas.

Maceió teve quatro mortos e tem quatro desaparecidos (WhatsApp e TNH1)Cinco pessoas permanecem desaparecidas: quatro em Maceió, após deslizamentos de encosta, e uma em Satuba, provavelmente um adolescente que pode ter se afogado no Rio Mundaú. E militares do Exército e do Corpo de Bombeiros retomaram as buscas sob os escombros nas grotas da capital alagoana, na manhã de hoje.

A casa do prefeito de Jacuípe, Amaro Ferreira, também foi inundada. "Não tem água para tomar banho e nem para beber e a energia está apenas monofásica. Está muito grave, crítico mesmo, e o rio continua enchendo mais ainda", disse o prefeito, ao ligar para a Rádio Gazeta AM e pedir ajuda do Corpo de Bombeiros.

O presidente Michel Temer (PMDB), visitou o Maceió na noite de domingo (28) e prometeu apoio às vítimas e ajuda financeira para recuperar danos. E ouviu pleitos das autoridades locais.

Durante a reunião com Michel Temer, o governador Renan Filho pediu que o governo federal, formalize Medida Provisória (MP) para executar o Programa de Contenção de Enchentes do Vale do Mundaú e do Paraíba, para forma de evitar desastres naturais e danos provocados pelas inundações em períodos chuvosos.

Além de pedir ações emergenciais, o prefeito Rui Palmeira reforçou para o presidente da República o pedido de liberação de recursos que são solicitados desde o governo de Dilma Rousseff, para a aplicação da tecnologia de geomantas nas áreas de encostas, onde vivem 200 mil famílias em situação de risco.

Assista ao registro da situação em Jacuípe, divulgado pelo site Gazetaweb

No sábado (27), o governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), decretou situação de emergência para atender os municípios de Maceió e Marechal Deodoro e o estendeu para Jacuípe. E o prefeito Rui Palmeira decretou estado de emergência e calamidade, em Maceió, onde 52 famílias estão desabrigadas e 152 desalojadas.

Veja a situação nos municípios afetados e a situação das famílias atingidas pelo temporal:

– Maceió: 4 mortes e 4 desaparecidos e 52 famílias desabrigadas e 152 famílias desalojadas;

– Branquinha: 25 famílias desalojadas;

– Capela: 140 famílias desalojadas e 70 desabrigadas: totalizando 210;

– Chã Preta: 10 famílias desalojadas;

– Colônia Leopoldina: 60 famílias desabrigadas e 10 desalojadas: totalizando 70;

– Jacuípe: segundo a Defesa Civil são 40 famílias desalojadas e 40 desabrigadas, mas a prefeitura informa que são 600 famílias desabrigadas;

– Jundiá: uma família desalojada e outra desabrigada;

– Marechal Deodoro: 247 famílias desabrigadas e 997 afetadas;

– Paulo Jacinto: 21 famílias desalojadas;

– Pilar: 400 famílias desalojadas ou desabrigadas;

– Quebrangulo: 20 famílias desabrigadas e 35 desalojadas: totalizando 55;

– Rio Largo: 198 famílias afetadas;

– Santa Luzia do Norte: 23 famílias afetadas;

– Santana do Mundaú: 20 famílias afetadas;

– São José da Laje: 15 famílias afetadas;

– São Luís do Quitunde: 29 famílias afetadas;

– Satuba: 1 adolescente desaparecido;

– União dos Palmares: 110 famílias afetadas.