Mais Lidas

Na presença de Meirelles

Chinaglia chama Arthur Maia de 'caloteiro' e escuta: 'vagabundo'

Deputados trocaram insultos na comissão da Reforma da Previdência

acessibilidade:

Os deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Arthur Maia (SD-BA) trocaram insultos durante audiência na comissão especial da reforma da Previdência. Diante do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, Chinaglia chamou Maia, relator da proposta na Casa, de "empresário caloteiro". Maia rebateu e disse que Chinaglia era um "vagabundo". "Vagabundo é você", continuou o petista.

Inicialmente, o relator da proposta de reforma da Previdência, Maia declarou que a reforma é uma necessidade do país, que isso foi reconhecido pelos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, mas que eles não tiveram coragem de fazê-la por "populismo."

Quando tomou a palavra, Chinaglia afirmou que o Arthur Maia atacou o PT publicamente sem ter "autoridade política e moral", pois, segundo ele, o relator da reforma deve recursos para a Previdência Social.

A discussão foi apartada pelo presidente da Comissão, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), que solicitou a imediata retirada dos xingamentos dos anais da audiência. "Isso não está à altura do andamento dos trabalhos da comissão."

Em seguida, Maia negou ter criticado o PT. "Você está mentindo. Se eu errei, pedirei desculpas ainda nesta sessão", afirmou. "Não é justo que o senhor venha me chamar de caloteiro. Tenho uma empresa com dívida renegociada com o INSS e que está adimplente." Chinaglia disse que iria rever as falas anteriores de Maia imediatamente.

Para terminar a confusão, o presidente da Comissão decretou o fim do conflito. "Essa situação está solucionada, que reine a paz entre os homens e mulheres de boa vontade", disse Marun, arrancando risos dos presentes.

O bate-boca entre os dois deputados já havia começado momentos antes. Maia havia dito que os deputados do PT, que antes elogiavam Henrique Meirelles quando presidente do Banco Central, durante o governo do ex-presidente Lula, iriam contradizer as falas do atual ministro da Fazenda. Imediatamente, Chinaglia interrompeu Maia.

"Vocês não vão fazer patrulhamento da minha palavra", afirmou Maia. "Seja tolerante com o contraditório", acrescentou o deputado.

Chinaglia disse ainda ter ficado incomodado com as críticas de Meirelles ao governo anterior, durante sua exposição sobre a proposta de reforma da Previdência. "O senhor foi um dos condutores principais política econômica, durante os oito anos governo Lula, disse.

Confira abaixo o a audiência pública. O momento de insultos começa após 1h32: