Mais Lidas

'Acha que pode tudo'

Chamado de 'ladrão', Renan manda mulher 'falar baixo', no Senado

Mulheres hostilizavam senadores que aprovaram projeto de Renan

acessibilidade:

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) se irritou com manifestantes que repudiaram o Projeto de Lei nº 280/2016, de sua autoria, que redefine os crimes de abuso de autoridade. Perseguido por um grupo de cerca de 15 mulheres e um homem, autodenominado de defensores da Operação Lava Jato, o alagoano foi chamado de ladrão e reagiu contra uma das manifestantes, após a proposta ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, nesta quarta-feira (26).

Líder do PMDB, Renan Calheiros não foi o único integrante do Senado a ser perseguido pelo grupo, mas foi o mais hostilizado, alvo de frases intimidadoras. "O povo diz não", afirmou uma das integrantes do grupo. Quando um homem gritou: “Ladrão!”, no meio da confusão, Renan andava em direção ao gabinete da liderança. E reagiu quando uma das mulheres, filmando-o com o celular, se aproximou de forma mais ostensiva.

“Fale baixo e abaixe a mão”, disse Renan. Ela respondeu: “Vocês estão com poder, podem tudo”.

As mulheres abordaram senadores como o relator Roberto Requião (PMDB-PR) acusando-o de ser alvo da Operação Carne Fraca. “Você está na operação Carne Fraca. Está na Lava Jato e agora quer aprovar uma proposta que o povo não quer”, gritou uma das mulheres, para Requião. O peemedebista não reagiu com agressividade e ressaltou que representa “o povo do Paraná”.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi perseguido pelo grupo até a entrada do plenário sob gritos de palavras de ordem. Mas o tucano não parou para conversar com as manifestantes.

O grupo questionava a legitimidade do Congresso, chamado de corrupto, para aprovar a lei vista como uma ameaça à liberdade de atuação das instituições que combatem a corrupção no Brasil.

O grupo reclamou de seguranças, que teriam empurrado as mulheres e criticaram os senadores por “fugir do povo”, mas “mendigar” seus votos na eleição.

Vídeos Relacionados