Mais Lidas

Corrupção

Câmara Legislativa do DF demite secretário-geral preso na Lava Jato

Ele foi preso nesta manhã pela PF na 28ª Lava Jato

acessibilidade:

Preso nesta manhã (12) pela Polícia Federal na 28ª fase da Operação Lava Jato, o secretário-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Valério Neves, foi demitido do cargo por decisão da presidente da Casa, deputada Celina Leão (PPS).

A prisão dele é temporária e tem validade de cinco dias. Também foram presos nas primeira horas desta terça-feira o ex-senador Gim Argello (PTB) e seu assessor Paulo Roxo Ramos, sendo prisão preventiva para Argello (sem prazo para acabar) e temporária para Ramos. Os três sairão de Brasília as 13h em um avião da PF direto para Curitiba, onde se concentram as investigações.

A 28ª fase da Lava Jato, batizada de Vitória de Pirro, apura denúncias de que o ex-senador teria recebido propina para não convocar empreiteiros para depor na CPI da Petrobras, em 2014. O dinheiro teria sido repassado para campanhas eleitorais. 

Valério Campos Neves é servidor de carreira da Companhia Energética de Brasília (CEB) e foi professor universitário. Deixou a vida acadêmica a pedido do então governador Joaquim Roriz, em 1989, para entrar no Governo do DF. Já foi subsecretário de Finanças da Secretaria de Fazenda; chefe de Gabinete de Roriz; e secretário de Relações Institucionais.