Mais Lidas

Rio2016

Brasileiro passa às oitavas de simples, no tênis de mesa

Hugo venceu adversário de país com tradição na modalidade

acessibilidade:

Jogador brasileiro de tênis de mesa, Hugo Calderano passou para as oitavas do torneio de simples, igualando o melhor resultado do Brasil na modalidade e faz a festa de jovens da Rocinha, que ganharam o ingresso sem saber o que veriam.

Yan dos Santos e Thiago Porfírio “ganharam na loteria”. Até ontem de manhã, não tinham a menor ideia de que teriam a oportunidade de entrar numa arena olímpica durante os Jogos do Rio. Moradores da Rocinha, eles praticam o tênis de mesa uma ou duas vezes por semana na comunidade, num esquema informal e com trabalho voluntário do professor Guilherme Diniz da Silva. Mesa improvisada, local longe de ser apropriado, e muita vontade de aprender. 

Pois o destino quis que eles tivessem, na noite deste domingo, um jornada digna de Disney. “Um amigo nosso mandou mensagem no grupo de Whatsapp dizendo que tinha três ingressos. Respondemos rapidinho e ficamos com eles”, disse Yan, 16 anos. Uma passagem de ônibus e dois trechos de BRT trouxeram os dois e o treinador Guilherme ao Pavilhão 3 do Riocentro. “Nem sabia quem ia jogar”, confessou Thiago, 18. 

Ali, os três amantes do esporte tiveram a chance de ver ao vivo o brasileiro Hugo Calderano, diante de uma torcida insana para os padrões comedidos do tênis de mesa, bater o número 15 do mundo, Tang Peng, de Hong Kong, por 4 sets a 2 (8 x 11, 14 x 12, 11 x 7, 4 x 11, 12 x 10 e 11 x 7). 

“Estou muito feliz de ter conseguido. O Tang Peng é forte, vem de um país com tradição no esporte. E já estou focado para o próximo jogo. Primeiro vou descansar um pouquinho, pensar no que foi bom e no que foi ruim hoje para estar muito bem amanhã”, disse Calderano.

“Cara, até esta tarde eu tinha planos de soltar pipa, mas bateu um vento muito forte e acabei, sem querer, tendo a chance de vir com os meninos. É outro padrão”, avaliou Guilherme, que já foi atleta, chegou a treinar no Fluminense (clube em que Hugo começou) e há cinco anos dá aulas para os mesatenistas da Rocinha.

O resultado levou o atleta brasileiro, atual número 54 do mundo, para as oitavas de final da chave de simples, um feito que iguala a melhor participação nacional em Jogos Olímpicos, obtida por Hugo Hoyama na edição de Atlanta (EUA), em 1996. “É um resultado importante não só para mim, mas para o tênis de mesa brasileiro como um todo. O nosso esporte vive seu melhor momento no Brasil, com três atletas de alto nível nos Jogos. Chegar tão longe já é uma grande história”, disse Calderano. 

Reportar Erro