Bombinha de nada

acessibilidade:

Corria o sombrio 1º de abril de 1964 quando um homem simples, carregando uma caixa, dirigia-se à rua do Príncipe, onde ficava o então IV Exército, no Recife. Um soldado armado de fuzil gritou “alto!”. Assustado, o homem passou a gritar, enquanto era preso:

– É uma d’água! É uma d’água! 

O engano seria desfeito horas depois, quando um capitão o interrogou:

– Afinal, o que é “uma d’água”?

– Meu capitão, eu sou encanador e estou levando uma bomba d’água na caixa. Se eu dissesse que era uma bomba d’água, os seus soldados iam me trazer aqui vivo para conversar com o senhor?

Reportar Erro