Pressa no julgamento

Barroso considera “prêmio” a relatoria do mensalão do PT

acessibilidade:

O ministro Luís Roberto Barroso, alçado por Dilma Rousseff (PT) ao Supremo Tribunal Federal (STF), considera um ?prêmio? ter sido sorteado como relator da AP 470, o processo do mensalão. O posto era do ministro Joaquim Barbosa, que se afastou da relatoria do caso na última terça-feira (17). Barroso disse ainda que vai pedir a Barbosa que coloque os recursos dos condenados para serem julgados na próxima quarta (25). Na avaliação do ministro, ?quem está preso tem pressa?.

“Tudo o que envolve punição penal tem que envolver uma ponderação entre o interesse da sociedade em reprimir o crime e o efeito que a prisão tem como prevenção geral de um lado e de outro lado o direito fundamental das pessoas que também tem que ser considerado? disse o novo relator.

No entanto, cabe a Joaquim Barbosa, por ser presidente do STF, definir a pauta do julgamento. Ele ainda não sinalizou a intenção de submeter os recursos para votação em plenário. Barroso, que chegou recentemente de viagem, reiterou ter pressa. ?Vou passar o fim de semana estudando. A minha ideia era pedir pauta rapidamente, só há mais uma sessão neste semestre. A minha ideia era pedir pauta para a próxima sessão” e concluiu, ?Gostaria de entrar no recesso com isso decidido e gostaria de fazê-lo em plenário, se possível”.

Reportar Erro