Alagoas

Atleta conta como o esporte o livrou das drogas

A incrível história do dependente químico que virou campeão

acessibilidade:

O atleta Marcos Antonio Pereira conquistou o primeiro lugar no salto em distância do Campeonato Alagoano de Atletismo Tenente Madalena, sábado (14), no Estádio Rei Pelé. Esta história poderia parecer comum se não fosse o fato de o atleta ter trocado o treino pelas drogas durante muito tempo.

 

Aos 26 anos, Marcos Antonio emocionou os que participaram, nesta segunda-feira (14), da audiência pública na Assembleia Legislativa de Alagoas para debater as políticas sobre drogas desenvolvidas pelo Estado. Ele expôs sua vida pessoal.

 

“Eu tive todas as oportunidades possíveis. Visitei todos os estados do Brasil e mais três países. Eu era um atleta de nível alto, talvez uma das grandes apostas do atletismo em Alagoas. Deixei tudo escapar pelas minhas mãos por não perceber que as drogas estavam tomando conta de mim”, contou emocionado.

 

Marcos Antonio contou que o crack o levou para o “fundo do poço”, afastando-se do esporte, dos amigos e até mesmo da família. “Foi quando eu me vi no desespero e decidi procurar ajuda. Encontrei na comunidade Mãos de Alagoas a oportunidade de me recuperar e superar tudo o que eu estava passando. Era a única certeza de que eu iria conseguir a vida que eu tinha de volta”, declarou.

 

Seis meses após deixar a comunidade acolhedora, que é credenciada pelo Governo do Estado para a assistência gratuita aos dependentes, Marcos voltou a treinar atletismo e a ver os seus sonhos voltarem a ser possíveis realidades.

 

Treinando de segunda a sábado no Estádio Rei Pelé, o atleta voltou à seleção alagoana de atletismo e já se encontra em primeiro lugar no ranking do esporte no Nordeste.

 

LEIA MAIS SOBRE ALAGOAS CLICANDO AQUI.

 

Reportar Erro