Denúncia do MPF

Amigos de Temer, José Yunes e coronel Lima viram réus

Presos na Operação Skala, os dois são acusados de organização criminosa

acessibilidade:

O advogado José Yunes, ex-assessor da Presidência, e o coronel aposentado da Polícia Militar de São Paulo João Baptista Lima Filho viraram réus, nesta segunda (9), após o juiz federal Marcus Vinicius Reis, da 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília, aceitar a denúncia da Procuradoria da República no Distrito Federal contra os amigos do presidente Michel Temer.

Os dois são acusados pelo Ministério Público Federal (MPF) de fazer parte de um grupo de integrantes do MDB que formou um núcleo político para cometer crimes contra empresas e órgãos públicos, o chamado ‘quadrilhão do MDB’.

A denúncia contra a suposta organização criminosa foi apresentada pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot ao Supremo Tribunal Federal (STF). Também foram denunciados por Janot o presidente Michel Temer; os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Minas e Energia); o ex-ministro Geddel Vieira Lima; os ex-deputados Eduardo Cunha, Henrique Alves e Rodrigo Rocha Loures; o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e o executivo do J&F Ricardo Saud.

Temer, Padilha e Moreira Franco tem foro privilegiado, por isso o caso iria para o Supremo. No entanto, a denúncia contra o presidente e os dois ministros foi barrada pela Câmara dos Deputados e só poderá ser retomada quando os três perderem o foro privilegiado.

Já Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha, Henrique Alves e Rodrigo Rocha Loures se tornaram réus nesta segunda (9), após o juiz Marcus Vinicius Reis também aceitar a denúncia contra eles. Os quatro já estão presos em decorrência de outras investigações – apenas Rocha Loures em prisão domiciliar.

Reportar Erro