Presidência da Câmara

Aécio afirma que PSDB não criará discórdia na sucessão de Cunha

Em evento com tucanos, ele sinalizou que o PSDB seguirá Temer

acessibilidade:

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse nesta sexta-feira, 8, em São Paulo, que a bancada seguirá orientação do presidente interino, Michel Temer (PMDB), na escolha do substituto de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na presidência da Casa.

“Somos da base de apoio do Temer, não seremos o partido da discórdia. A posição do PSDB nessa questão está dissociada do Eduardo Cunha”, afirmou o tucano após participar de um evento do partido em São Paulo, promovido pelo Instituto Teotônio Vilela, presidido pelo senador José Aníbal.

Em sua fala no seminário, o senador afirmou que o PSDB é uma apoiador de Temer "responsável, leal", mas "crítico". Ele citou "sinais trocados" como o aumento dos salários de servidores no "momento em que o ajuste fiscal é extremamente necessário".

Aécio disse ainda que o mandato tampão não deve ser a prioridade do partido, e sim a eleição do novo presidente da Casa, em fevereiro de 2017. “Temos uma aliança na Câmara com o PPS, DEM e PSB. O PSDB manterá essa aliança em busca da sucessão futura da Câmara”, ressaltou.

A definição deve acontecer na semana que vem. O mandato tampão dura até fevereiro de 2017, quando haverá eleição para a nova mesa diretora.

Também presente ao evento, o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), falou que os deputados não podem ter "nenhum tipo de preconceito partidário" quando questionado se apoiaria um aliado de Cunha, que renunciou na quinta-feira, 7.