Mais Lidas

Artigo no 'Diário do Poder'

Sarney critica ‘cara de pau’ de Trump ao dizer que foi roubado na eleição

Ex-presidente do Brasil elogia o "equilíbrio" do futuro presidente dos EUA Joe Biden

acessibilidade:
José Sarney, ex-presidente da República Federativa do Brasil - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado.

O ex-presidente e ex-senador José Sarney criticou duramente a atitude do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao levantar suspeitas sobre a integridade do eleição presidencial norte-americana.

“(Joe) Biden tem quatro milhões de votos à frente — Hillary (Clinton) obteve três milhões; Biden, quatro! — e Trump tem a cara de pau de dizer que ganhou e foi roubado”, indigna-se Sarney.

As críticas foram escritas por Sarney em seu artigo semanal para o Diário do Poder, no qual contextualiza o processo eleitoral americano sob o aspecto histórico a importância da democracia nos EUA.

“A democracia exemplar, que se baseou na vontade do povo — na expressão de Lincoln, ‘do povo, para o povo e pelo povo’ —, foi uma ideia e um sistema tão poderoso que se difundiu e foi capaz de construir o maior país do mundo, a maior economia e assegurar a defesa da liberdade e dos direitos humanos como bandeira fundamental da Humanidade”, disse o ex-presidente em seu artigo.

“Agora, surge esse Trump e, em pleno século XXI, resolve desmoralizar seu país”, escreve Sarneu+y em seu artigo Péssimo exemplo, “ameaçando fazer aquilo que nem os caudilhos da América do Sul, nem os sobas da África fazem mais. Ameaça não respeitar o Estado de Direito, contesta as eleições, faz acusação de fraude na contagem dos votos, expõe seu país à vergonha internacional e incentiva os ditadores e a força a voltarem a fazer parte do processo de escolha do governo nos países”, afirmou.

Ele também criticou o fato de a contestação às instituições americanas não ser feita pelos seus inimigos, mas pelo próprio presidente dos EUA.

“É claro que mesmo nos Estados Unidos muito se discute sobre o processo eleitoral arcaico”, disse ele. “Basta ver que Biden tem quatro milhões de votos à frente — Hillary obteve três milhões; Biden, quatro! — e Trump tem a cara de pau de dizer que ganhou e foi roubado.”

“Numa análise simplista isso choca e é um absurdo, mas por outro lado mostra a força das instituições, com o povo comemorando a vitória de Biden e, na alternância do poder, depositam as esperanças de um mundo melhor”, diz ele em seu artigo.

Para o ex-presidente Sarney, a democracia americana “só deu errado ao produzir um Trump, que jamais teve a noção da responsabilidade que pesa sobre seu país perante o mundo, como exemplo, como guia e como certeza de que a democracia, como dizia Churchill, ‘é o pior regime, mas não existe outro melhor’”.

Para ele, Trump já é o passado, e Biden nos traz a esperança da retomada gloriosa do “sonho americano”. “É um homem equilibrado, respeitado, bem composto. Esperamos que ele encerre a série de conflitos mundiais que o topete de seu antecessor espalhou pela comunidade internacional”, afirma.

 

Reportar Erro