Mais Lidas

Liminar barrada

Marco Aurélio nega liminar de Bolsonaro contra lockdown de governadores

Magistrado criticou o "negacionismo" de Jair Bolsonaro, em entrevista à Rádio Bandeirantes

acessibilidade:
Ministro Marco Aurélio vestido de toga sentado durante sessão no plenário do STF
Ministro Marco Aurélio ingresso no Supremo Tribunal Federal (STF) em 1990. Foto: Fellipe Sampaio/STF/Arquivo

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou liminar impetrada pelo presidente Jair Bolsonaro contra medidas restritivas adotadas pelo Distrito Federal e os estados da Bahia e do Rio Grande do Sul. Ele havia sinalizado essa decisão, como noticiou o Diário do Poder mais cedo.

Relator da ação no STF, o ministro criticou a postura de Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia, classificando-a de “negacionista”, ressaltando que a questão já foi definida pelo Supremo no ano passado.

Ele fez essas declarações ao programa Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, quando afirmou também que o caso pode ser avaliado pelos demais ministros, no plenário do STF.

Para Marco Aurélio, o momento é de união e entendimento, e falta ao presidente da República exercer a liderança que cabe a ele.

O ministro afirmou que vê com boa expectativa a reunião entre representantes dos Três Poderes para discutir um pacto nacional para combater a pandemia.

A ideia foi defendida pelo presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco, em entrevista ao Canal Livre, da Band, no último domingo.

Além dos Três Poderes, a reunião prevista para amanhã deve contar também com a participação do Procurador-Geral da República e de alguns governadores.

O ministro Marco Aurélio foi entrevistado pelos jornalistas Thays Freitas, Pedro Campos e Cláudio Humberto, no programa Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes.

Reportar Erro