Faltou planejamento

Zico

Ídolo rubro-negro criticou improviso em contêineres onde morreram dez jogadores
10/02/2019

‘Dá a impressão de não ser uma fatalidade’, diz Zico sobre incêndio no Flamengo

Faltou planejamento

‘Dá a impressão de não ser uma fatalidade’, diz Zico sobre incêndio no Flamengo

Ídolo rubro-negro criticou improviso em contêineres onde morreram dez jogadores

O ídolo do Flamengo e do futebol brasileiro, Zico, criticou o clube por usar contêineres como dormitório dos jogadores da base do time. O incêndio da última sexta-feira (8) matou 10 atletas. Diretor técnico do Kashima Antlers, Zico questionou por que o Flamengo não tomou providências após ser multado pela prefeitura. E também avaliou o local como inadequado para que os jovens passassem a noite. “Eu nem imaginava que ainda havia jovens que moravam lá no CT novo. Tomei um susto maior com isso, porque eu achava que eles tinham pegado uma casa ali do lado e colocado os meninos da base. Quando vi a foto, eu falei que só podia ser onde tem a parte dos contêineres, que não foram feitos para isso”, disse Zico, em entrevista ao SporTV. Quando visitou os contêineres do Ninho do Urubu, Zico imaginava que seria um local para profissionais descansarem entre os treinos da manhã e da tarde. “Não tenho claustrofobia, mas se acontecesse alguma coisa, por onde você vai sair? Como vai escapar?”. Zico atribuiu responsabilidade ao Flamengo por não ter feito melhorias no local. “Se você é multado 30 vezes, você não pode empurrar aquilo com a barriga para ser multado mais 20. Alguma coisa tem que ser feita”, afirmou. “Deu a impressão de que aquilo ali não era uma coisa que todo mundo sabia que existia como moradia. A base tem que ter um planejamento para todos os sentidos. A tragédia não avisa, ela é inesperada”, acrescentou Zico. “Situações como essa fica dando a impressão de não ser fatalidade.”, concluiu. (Folhapress)
13/08/2015

Zico ministra palestra sobre como montar equipe campeã

Ídolo e empresário

Zico ministra palestra sobre como montar equipe campeã

Palestra será na 23ª Feira do Empreendedor realizada pelo Sebrae na UnB

Abrindo os trabalhos da 23ª Feira do Empreendedor, evento que o Sebrae no DF realiza de 26 a 30 de agosto, no Taguaparque, o ídolo e empresário Arthur Antunes Coimbra, o Zico, ministrará a palestra  “Como formar um time campeão” na Universidade de Brasília (UnB). Ele falará sobre empreendedorismo e negócios no Centro Comunitário Athos Bulcão, no dia 24 de agosto (segunda-feira), das 9 às 11 horas. Personagem da campanha que divulga a Feira do Empreendedor, Zico é conhecido por seu espírito de liderança, sua capacidade de condução de times campeões, sua atitude empreendedora e sua empatia com o público. “Trata-se de um momento especial na universidade. É importante que os estudantes assistam a palestras de incentivo para a vida profissional e que conheçam mais profundamente os exemplos de pessoas bem-sucedidas e felizes com suas conquistas”, diz Luís Afonso Bermúdez, professor titular e decano de Administração da Universidade de Brasília e presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae no DF. A palestra tem participação gratuita e é aberta aos estudantes e ao público em geral. As inscrições devem ser feitas no site do Sebrae, pelo endereço eletrônico www.df.sebrae.com.br
30/07/2015

CBF anuncia apoio à candidatura de Zico a presidente da Fifa

Eleições na Fifa

CBF anuncia apoio à candidatura de Zico a presidente da Fifa

Agora ele precisa do apoio de outras quatro federações nacionais

O cartola Marco Antonio Del Nero anunciou nesta quinta-feira (30) que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que ele preside, apoiará a candidatura do ex-craque Zico para a presidência da Fica. Além da CBF, Zico precisa que outras quatro confederações ou federações nacionais o apoiem para que a Fifa aceite o registro de sua candidatura.  Já o ex-craque francês Michel Platini, que ontem anunciou sua candidatura, ganhou um apoio de peso: a Confederação Asiática de Futebol. O novo pleito da Fifa está marcado para o dia 26 de fevereiro de 2016. A federação italiana também apoia Platini. "Platini vai trazer estabilidade e uma transição suave para a normalidade da Fifa neste momento difícil", declarou o xeque Salman bin Ebrahim Al Khalifa, presidente da entidade asiática. Na sua avaliação, o francês tem qualidades que o tornam "um candidato único", pedindo aos seus filiados que também apoiem Platini. A confederação surpreendeu na última eleição da Fifa, no início de junho, ao apoiar oficialmente o suíço Joseph Blatter, mesmo contando com um filiado no pleito. O príncipe jordaniano Ali bin Hussein não recebeu o apoio formal da Confederação Asiática. Ao declarar seu apoio a Platini, a entidade volta a deixar de lado o príncipe, que já demonstrou interesse em se candidatar novamente – mas ainda não oficializou sua intenção. Na quarta, o jordaniano criticou a candidatura do francês. Para o príncipe Ali, Platini "não é bom para a Fifa". Os dois chegaram a causar rumores de que seriam aliados na nova eleição.
27/06/2015

Zico mantém candidatura à Fifa e critica corrupção

Mundo da bola

Zico mantém candidatura à Fifa e critica corrupção

Zico anunciou candidatura no dia 10 de junho

O ex-jogador de futebol Artur Antunes Coimbra, conhecido como Zico, reafirmou hoje (27) que é candidato à presidência da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e comentou a atitude do atual presidente da entidade, Joseph Blatter, que declarou em entrevista a um jornal suíço, na última quinta-feira (25), que não teria renunciado, deixando em aberto uma possível volta ao cargo. Zico participou no Rio de Janeiro, ao lado do ministro do Esporte, George Hilton, da cerimônia de despedida da delegação brasileira que participará do Special Olympics, nos Estados Unidos – competição para jovens com deficiências intelectuais. “Estamos na fase de aguardar o desenrolar dos fatos. A gente já vê o presidente [Blatter] dizer que não falou – o que muita gente colocou – e que não era bem aquilo que ele tinha dito. Acho que todos esses fatos denegriram muito o futebol mundial, e a gente espera que haja uma solução definitiva, para o bem do futebol. Não podemos ter dirigentes importantes presos e denunciados, indiciados. Isso contamina. A gente vê uma oportunidade ímpar para uma entidade importante passar a ser democrática, passar a ter decisões que beneficiem o futebol, e não pessoas”, comentou. Zico disse que desde o dia em que anunciou sua candidatura, em 10 de junho, vem recebendo apoio. Para se candidatar à Fifa, ele precisa de um mínimo de cinco federações nacionais lhe apoiando. Ele conta com a do Japão, país onde ajudou a popularizar o futebol, e vai à Índia, em busca de voto. “Tivemos uma aceitação muito grande de todos os lugares, nacional ou internacional, e eu fiquei muito feliz com isso. Agora, já começamos a trabalhar, independente do que vai acontecer ou não. Vamos montar um programa. Estou me reunindo com pessoas importantes, que têm conhecimento de diversas áreas do futebol. [A candidatura] está de pé. Dei minha palavra, botei minha cara. Estou esperando o desenrolar dos fatos. Vou enviar o meu programa, com a plataforma, para todas as federações do mundo”, enfatizou. Em relação a Michel Platini, ex-jogador francês e atual presidente da União das Federações Europeias de Futebol (Uefa), cotado como possível candidato à Fifa, Zico disse que ele não teria demonstrado interesse em participar da eleição. “Ele está em dúvida. Acho que é bem possível que continue na Uefa, pois está muito bem lá. Uma parte dos europeus quer que ele se candidate, mas não vi ele muito empolgado à Fifa, não”, acrescentou. Zico é um dos embaixadores da Special Olympics, que este ano ocorre na cidade norte-americana de Los Angeles, de 25 de julho a 2 de agosto. A delegação brasileira tem 39 atletas, todos com algum tipo de deficiência intelectual. "[A competição] é um evento de inclusão social. São atletas especiais que nos ensinam muito mais do que nós podemos oferecer a eles. O Ministério do Esporte tem hoje um foco nisso. Temos uma política arrojada para o alto rendimento, mas sem perder de vista o esporte de inclusão”, disse o ministro George Hilton. Um dos atletas do Brasil no Special Olympics é o carioca Breno Viola, judoca do Clube de Regatas Flamengo. Ele destacou que sua meta é trazer medalhas e que "o judô não vai fazer feio". "Tenho síndrome de Down e o ritmo no esporte é lento, mas com o tempo a gente vai conseguindo", disse ele. "O esporte traz coisas na vida como determinação, disciplina e amor pelo que a gente faz. A gente tem que realizar o nosso próprio sonho, e eu só paro com o judô quando minhas pernas não aguentarem”, acrescentou.