Economia

transporte

Avanço foi de 0,05% entre dezembro de 2018 e o primeiro mês deste ano
08/02/2019

IPCA do Distrito Federal tem pequeno crescimento em janeiro deste ano

Economia

IPCA do Distrito Federal tem pequeno crescimento em janeiro deste ano

Avanço foi de 0,05% entre dezembro de 2018 e o primeiro mês deste ano

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Distrito Federal teve avanço de 0,05% de dezembro de 2018 para janeiro deste ano — enquanto a média nacional da inflação oficial ficou em 0,32%. De acordo com dados divulgados nesta sexta (8) pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), o setor que mais contribui com o resultado do índice foi o de transportes. O grupo registrou variação negativa de 1,10%, com recuos principalmente em itens como gasolina (-3,36%) e passagens aéreas (-2,88%). Já entre os grupos que registraram variações positivas está o de alimentação e bebidas, com um aumento de 1,04%. De acordo com a Codeplan, o aumento nesse setor já era esperado nesta época do ano. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação com redimentos entre um e cinco salários mínimos, registrou um avanço de 0,11%. O valor foi maior que o registrado pelo IPCA, porque aumento no preço de itens como alimentação e bebidas pesam mais para famílias de renda mais baixa.
30/01/2019

Governo estuda alterações na metodologia de cálculo da tabela de frete mínimo

Prevista para abril

Governo estuda alterações na metodologia de cálculo da tabela de frete mínimo

Previsão é que a nova tabela esteja concluída até o final de abril, antes do prazo determinado pela legislação

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse nesta quarta (30) que o governo trabalha em alterações na metodologia de cálculo da tabela de frete mínimo, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP). A informação foi dada durante o anúncio da Operação Radar, uma estratégia integrada entre ministérios para o escoamento da safra 2018/2019. A previsão é que a nova tabela esteja concluída até o final de abril, antes do prazo determinado pela legislação para publicação dos valores mínimos de frete. De acordo com o ministro, a tabela foi criada de maneira rápida, em razão da greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado. “Estamos trabalhando com a USP em nova referência para eliminar distorções na tabela e para que ela seja cada vez mais aceita por todos”, disse o ministro. “A tabela deve ficar pronta em abril, antes da revisão prevista em julho. Vamos ter um negócio mais ajustado e vamos discutir isso com todos os setores”, disse. Criada após a greve dos caminhoneiros, a Lei 13.703, de 2018, instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, e prevê que uma nova tabela com frete mínimo deve ser publicada quando houver oscilação superior a 10% no preço do óleo diesel no mercado nacional. De acordo com a lei, a publicação da nova tabela tem que ser feita até os dias 20 de janeiro e 20 de julho de cada ano, ficando os valores válidos para o semestre. A proposta em vigor, disse Tarcísio, apresenta distorções em alguns segmentos, em razão do tipo e idade do veículo, estado de manutenção, condições das estradas, carga transportada, entre outros fatores. O ministro disse que, dependendo do caso, pode haver tanto redução quanto aumento no valor de referência para o frete. “Isso tudo está sendo estudado para eliminar algumas distorções que a tabela apresenta”. A lei em vigor especifica que os pisos mínimos de frete deverão refletir os custos operacionais totais do transporte, definidos e divulgados nos termos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), com priorização dos custos referentes ao óleo diesel e aos pedágios. De acordo com a legislação, a tabela deve trazer os pisos mínimos referentes ao quilômetro rodado por eixo carregado, consideradas as distâncias e as especificidades das cargas, bem como planilha de cálculos utilizada para a obtenção dos pisos mínimos. Pela tabela em vigor, as multas aplicadas a quem descumprir os preços mínimos da tabela do frete rodoviário se enquadram em quatro situações distintas, variando do valor mínimo de R$ 550 e podendo chegar ao máximo de R$ 10,5 mil. Diesel O ministro avaliou ainda o fim do subsídio ao diesel, uma das medidas que também foi concedida aos caminhoneiros, pelo ex-presidente Michel Temer, como parte das negociações para acabar com a greve dos caminhoneiros, em maio de 2018. “Sobrevivemos bem a retirada do subsídio do diesel. Houve uma redução do preço do petróleo no mercado internacional e o fator câmbio também ajudou. De maneira que temos o preço de referência praticamente igual ao de comercialização sem subsídio”. (ABr)
24/12/2018

Confira o que abre e o que fecha no DF nos dias 24 e 25 de dezembro

Natal

Confira o que abre e o que fecha no DF nos dias 24 e 25 de dezembro

Funcionamento de serviços públicos será diferente na véspera e no dia de Natal

Na véspera e no dia de Natal, esta segunda (24) e terça (25), os serviços públicos do Distrito Federal, pontos turísticos e equipamentos culturais terão esquema especial de funcionamento. Na área da saúde, atendimento 24 horas nas emergências dos hospitais regionais, Instituto Hospital de Base e Unidades de Pronto Atendimento. Centros de saúde e ambulatórios, porém, ficarão fechados. Serviços públicos – BRB: as agências do Banco de Brasília (BRB) e as unidades do BRB Conveniência estarão fechadas nesta terça (25). Na véspera do Natal (24), o atendimento ao público será de 9 às 11 horas. – Detran-DF: os postos de atendimento do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) estarão fechados nesta terça. Nas vias, haverá plantões com fiscalização. Nesta segunda (24), o atendimento nos postos será das 8 às 14 horas. Na quarta-feira (26), volta ao horário normal, das 8 às 18 horas. – Hemocentro: a Fundação Hemocentro de Brasília não abrirá nestaa terça (25). Nesta segunda (24), o funcionamento será das 7 às 12 horas. O atendimento voltará ao horário normal na quarta-feira (26), das 7 às 18 horas. A instituição fica no Setor Médico-Hospitalar Norte, Quadra 3, Conjunto A, Bloco 3 (Asa Norte). Agendamento e mais informações pelo telefone 160, opção 2. – Na Hora: os postos do Na Hora estarão fechados no dia de Natal. Nesta segunda (24), abrirão das 7h30 às 14 horas. E voltarão ao horário normal nesta quarta (26), das 7h30 às 18h30. Saúde Nesta segunda (24), as Unidades Básicas de Saúde e os ambulatórios dos hospitais funcionam até as 14 horas. Após as 14 horas do dia 24 e no dia de Natal (25), atendimento 24 horas nas emergências dos hospitais regionais, Instituto Hospital de Base e Unidades de Pronto Atendimento. Nesta quarta (26), toda a rede pública de saúde volta a funcionar normalmente, a partir das 8 horas. Secretaria de Fazenda Nesta terça (25), as agências da Secretaria de Fazenda e o atendimento telefônico pela central 156, opção 3, não funcionarão. Na véspera do Natal, segunda (24), os horários de funcionamento das unidades de atendimento ao contribuinte da Secretaria de Fazenda serão da seguinte forma: Central 156: das 7 às 13 horas. Agências de Atendimento da Secretaria de Fazenda: das 9 às 13 horas. Atendimento Virtual: funcionamento normal para abertura de solicitações. No entanto, o tempo para retorno pode ser maior que 72 horas. Segurança Na terça-feira (25), as delegacias funcionarão em esquema de plantão. Na véspera do Natal (24), em todas as unidades da Polícia Civil do DF, o expediente funcionará das 8 às 14 horas. Após esse horário, o atendimento será feito pela Delegacia Eletrônica, pelas Centrais de Flagrante e por meio do número 197, em esquema de plantão policial (24 horas). Transporte – Metrô: no dia de Natal (25), o Metrô não funcionará. Nesta segunda (24), o funcionamento será das 6 às 20 horas. Nesta quarta (26), volta ao horário normal, das 6 às 23h30. – DFTrans: as linhas de ônibus vão operar conforme a tabela aplicada aos domingos no feriado de 25 de dezembro. Na segunda-feira (24), tabela tarifária normal de dia útil, com redução da frota após as 20 horas. Os horários estão disponíveis no site do DFTrans. Pontos turísticos – Catetinho: o Catetinho ficará fechado nos dias 24 e 25 de dezembro. O funcionamento voltará ao normal nesta quarta (26), das 9 às 17 horas. – Jardim Botânico: ficará fechado no dia 25 de dezembro. Na véspera do Natal, ficará aberto das 9 às 12 horas. A entrada custa R$ 5 por pessoa. Crianças de até 12 anos, idosos (acima de 60 anos) e pessoas com deficiência não pagam ingresso. De terça a domingo, das 7 horas às 8h50, é permitida a entrada sem cobrança de ingresso somente a pedestres e ciclistas. – Jardim Zoológico: ficará aberto normalmente nos dias 24 e 25 de dezembro, das 8h30 às 17 horas. A entrada custa R$ 10. Crianças de 6 a 12 anos, estudantes, idosos (acima de 60 anos), professores e beneficiários de programas sociais do governo pagam meia-entrada. Para crianças com até 5 anos de idade e pessoas com deficiência, o ingresso é gratuito. – Memorial dos Povos Indígenas: ficará fechado nesta terça (25). Na véspera do Natal, segunda (24), ficará aberto das 9 às 12 horas. – Museu Nacional: não funcionará nos dias 24 e 25 de dezembro. – Museu Vivo da Memória Candanga: ficará fechado nesta terça (25). Na véspera do Natal, segunda (24), ficará aberto das 9 às 14 horas. – Torre de TV: o monumento está fechado para manutenção. – Torre de TV Digital: estará fechada entre os dias 22 e 25 de dezembro. Bibliotecas – Biblioteca Pública de Brasília: entra em recesso nesto domingo (23) e voltará a funcionar no dia 2 de janeiro em horário de atendimento normal, das 7h30 às 18 horas. – Biblioteca Nacional de Brasília: entra em recesso nesta segunda (24). Voltará ao horário de atendimento normal, das 8 às 20 horas, no dia 2 de janeiro. Espaços culturais – Casa do Cantador: estará fechada nesta terça (25). Na véspera de Natal (24), ficará aberta de 9 às 14 horas. – Centro Cultural Três Poderes: ficará fechado desta segunda (24) até o dia 2 de janeiro. – Cine Brasília: não funcionará nesta segunda (24) e terça (25). (Agência Brasília)
10/12/2018

Prefeito de Niterói é preso por receber R$10 milhões de propina do setor de transporte

Lava Jato

Prefeito de Niterói é preso por receber R$10 milhões de propina do setor de transporte

Rodrigo Neves se diz surpreso e alega que a licitação é do antecessor

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, foi preso na manhã desta segunda (10) em uma ação do Ministério Público e da Polícia Civil. Neves é acusado de desviar cerca de R$ 10 milhões da verba de transporte do município do Rio de Janeiro. A operação, um desdobramento da Lava Jato, é baseada no acordo de delação premiada firmado pelo ex-dirigente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetransport) Marcelo Traça, também denunciado pelo Ministério Público. Dizendo-se perplexo com sua prisão, Neves alegou que a licitação do sistema de transporte que opera em Niterói é anterior a gestão. “Primeiro eu queria destacar que a gente em Niterói teve uma concorrência sobre transporte coletivo anterior à minha gestão. A concorrência foi na gestão anterior. Segundo, em 2013, a primeira decisão que eu tomei foi unificar as tarifas de Niterói pela menor tarifa. Se eu não tivesse feito isso, a tarifa de Niterói hoje seria a mais de R$ 4,50, portanto bem superior à tarifa atual.” Além de Rodrigo Neves, também foram presos Domício Mascarenhas de Andrade, ex-secretário municipal, João Carlos Félix Teixeira, presidente do consórcio TransOceânico e sócio da Viação Pendotiba, e João dos Santos Silva Soares, presidente do consórcio Transnit e sócio da Auto Lotação Ingá. O prefeito de Niterói é apontado como líder do esquema que cobrava de empresas de ônibus que prestavam serviço para o município 20% sobre os valores do reembolso da gratuidade de passagens concedido a alunos da rede pública de ensino, idosos e pessoas portadoras de necessidades especiais. Os agentes cumprem quatro mandados de prisão e 19 de busca e apreensão. Entre os alvos de prisão estão ainda o ex-secretário de Obras de Niterói Domício Mascarenhas de Andrade, suspeito de arrecadar as quantias e negociar os pagamentos com os representantes das empresas; o presidente do consórcio TransOceânico e sócio da Viação Pendotiba, João Carlos Félix Teixeira; e o , presidente do consórcio Transnit e sócio da Auto Lotação Ingá, João dos Santos Silva Soares.