Desabamento de 2 prédios

tragédia

Mais um corpo foi encontrado hoje nos escombros dos dois edifícios que desabaram na sexta-feira
15/04/2019

Sobe para 11 o número de mortos na tragédia em Muzema no Rio

Desabamento de 2 prédios

Sobe para 11 o número de mortos na tragédia em Muzema no Rio

Mais um corpo foi encontrado hoje nos escombros dos dois edifícios que desabaram na sexta-feira

Na manhã de hoje (15) às 10h30 foi retirado mais um corpo dos escombros dos dois prédios que desabaram na sexta-feira na comunidade da Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro. Trata-se do corpo de uma mulher. Com isso sobe para 11 o número de mortos na tragédia e 13 pessoas estão desaparecidas. Dos oito sobreviventes, quatro permanecem internados, sendo três do  Hospital Miguel Couto e uma mulher no Lourenço Jorge. Ela está em estado grave. Outras duas pessoas que foram resgatadas com vida não resistiriam aos ferimentos e morreram no hospital. Antes das 9h houve troca de turno nas equipes de busca. O local do desabamento, que é a última rua do condomínio Figueiras do Itanhangá, permanece parcialmente interditado. Um total de 13 prédios foram interditados e os moradores só podem entrar por poucos minutos, para retirar alguns pertences. Segundo moradores, a Defesa Civil os informou que a área ficará interditada enquanto os trabalhos de busca estiveram acontecendo. (ABr)
10/04/2019

Rio de Janeiro continua em situação de crise após maior temporal em 22 anos

Pelo menos 10 mortos

Rio de Janeiro continua em situação de crise após maior temporal em 22 anos

Para esta quarta, estão previstas de chuvas fracas a pancadas fortes

O Rio de Janeiro permanece em estágio de crise desde a noite de segunda-feira (8), portanto, há mais de 30 horas, por causa de chuvas. A previsão para esta quarta (10) é de chuvas fracas a moderadas com possibilidade de pancadas fortes em alguns momentos. Na madrugada desta quarta, os bairros mais atingidos foram Ilha do Governador, com 69,2 milímetros de chuvas, e Tijuca, com 44,8 mm. Choveu forte na Tijuca e no Jardim Botânico. Ainda há várias ruas alagadas e bolsões d’água. Quedas de árvores também foram registradas, o que dificulta o trânsito em vários pontos. O maior temporal em 22 anos no Rio de Janeiro já deixou pelo menos dez mortos. Avó, neta e um motorista de táxi morreram após um deslizamento. Um homem morreu eletrocutado. Vítimas morreram ainda por afogamento. (Com informações da Agência Brasil)
09/04/2019

Sobe para quatro o número de mortos pelo temporal no Rio de Janeiro

Na noite desta segunda

Sobe para quatro o número de mortos pelo temporal no Rio de Janeiro

Chuvas devem dar trégua só na quinta-feira

A prefeitura do Rio de Janeiro confirmou a quarta morte na cidade por causa do temporal da noite desta segunda (8). A vítima seria um jovem que morreu eletrocutado em Santa Cruz, bairro da zona oeste. As outras vítimas são duas irmãs que morreram soterradas em um desabamento no morro da Babilônia, na zona sul da cidade, e um motociclista que morreu afogado ao ser arrastado pela enxurrada na Gávea, também na zona sul. Bombeiros ainda fazem buscas por um desaparecido, que estaria sob uma casa que desabou também no Babilônia, e procuram possíveis vítimas dentro de carros em uma ladeira de Copacabana. (ABr)
13/03/2019

Ministro da Educação repudia massacre em escola de São Paulo

Nove mortos

Ministro da Educação repudia massacre em escola de São Paulo

Dois jovens entraram atirando e mataram nove pessoas, entre crianças e um funcionário do colégio

O ministro da Educação, Ricardo Vélez, repudiou o massacre na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano (SP), ocorrido na manhã desta quarta (13). Em mensagem no Twitter, o ministro se solidarizou com as famílias das vítimas e disse que acompanhará os desdobramentos da tragédia. “Recebo com muita tristeza a notícia de que crianças e um funcionário foram brutalmente assassinados na escola Prof. Raul Brasil, em Suzano, SP. Meus sentimentos às famílias. Expresso meu repúdio a essa manifestação de violência. Acompanharei de perto a apuração dos fatos”, disse o ministro na rede social. O número de vítimas do massacre está sendo contabilizado. Inicialmente, a Polícia Militar informou dez mortos e depois retificou para oito, inclusive os dois supostos atiradores. Há ainda feridos sendo atendidos em hospitais e clínicas da região. O governador de São Paulo, João Doria cancelou a agenda desta quarta-feira e seguiu para o local com autoridades estaduais e municipais. “Estou muito impactado”, afirmou o governador. “Uma cena mais triste que assisti em toda a minha vida”, disse. “Estou consternado, chocado”, complementou Doria, prestando solidariedade às famílias das vítimas. O governador e as autoridades fazem uma segunda vistoria na escola, que foi isolada. A identidade das vítimas ainda está sendo levantada. A Escola Estadual Raul Brasil atende os anos finais do ensino fundamental e o ensino médio, com um total de 1.058 alunos matriculados. Oferece ainda cursos de línguas para 1.534 estudantes. Contando com a direção, tem 14 funcionários e 63 professores. Tem uma estrutura com 30 salas e espaços para aulas e atividades extra-curriculares, ambientes de leitura e laboratórios de química e de física. Segundo a Secretaria Estadual de Educação, ainda não é possível afirmar quantos desses alunos estavam no local no momento em que ocorreu o tiroteio. Os tiros, conforme a secretaria, foram disparados durante o intervalo das aulas da manhã. (ABr)