Tiros em Suzano

suzano

Suspeito de 41 anos vendeu a arma de fogo utilizada pelos bandidos
02/05/2019

Polícia prende homem que vendeu arma de fogo para terroristas de Suzano

Tiros em Suzano

Polícia prende homem que vendeu arma de fogo para terroristas de Suzano

Suspeito de 41 anos vendeu a arma de fogo utilizada pelos bandidos

A Polícia Civil de São Paulo prendeu na tarde de hoje (2) um homem de 41 anos responsável pela venda da arma de fogo que foi utilizada pelos terroristas que invadiram em 13 março a Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, e mataram a tiros cinco estudantes e dois funcionários. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o homem foi preso temporariamente por 30 dias, após a investigação da polícia indicar que ele havia vendido aos autores do massacre a arma por intermédio de um outro suspeito, de 47 anos, preso em 11 de abril. A ação dos atiradores resultou na morte de dez pessoas, incluindo os dois autores. Onze pessoas ficaram feridas. O último a deixar o hospital foi um adolescente de 15 anos, que estava internado na enfermaria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, na capital paulista. Ele voltou para casa em 2 de abril.
22/04/2019

Militares reformados vão atuar em escolas do Rio

Mais segurança

Militares reformados vão atuar em escolas do Rio

“Tenho certeza de que esse programa vai ajudar muito na mediação entre professor e aluno. É um programa de redução de conflitos nas escolas e de ampliação da participação dos pais nas escolas.” – Governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel.
11/04/2019

Polícia prende dois suspeitos de envolvimento em tiroteio em Suzano

Escola Professor Raul Brasil

Polícia prende dois suspeitos de envolvimento em tiroteio em Suzano

O ataque à escola, ocorrido na manhã do dia 13 de março, foi executado por dois ex-alunos armados

A Polícia Civil prendeu hoje (11) mais dois suspeitos de envolvimento no ataque realizado na Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, no mês passado. O ataque à escola, ocorrido na manhã do dia 13 de março, foi executado por dois ex-alunos, de 17 e 25 anos, armados. Dez pessoas morreram, das quais duas funcionárias da escola, cinco alunos, um comerciante e os dois atiradores. O tiroteio deixou ainda 11 feridos. Ontem (10), já havia sido preso um homem de 47 anos acusado de vender o revólver e a munição usada pelos dois atiradores. No último dia 19, a polícia prendeu um adolescente de 17 anos, amigo de um dos atiradores, sob a acusação de também ter participado do planejamento do atentado. Desde então está em uma unidade da Fundação Casa. O adolescente pode permanecer internado por até 45 dias, após esse prazo, Justiça deverá se pronunciar a respeito de uma sentença definitiva, que pode durar no máximo três anos. A defesa do jovem nega que ele tenha qualquer envolvimento com o caso. Há um mês os policiais investigam o crime. Os aparelhos celulares dos envolvidos no tiroteio foram rastreados e analisados. A partir dessas investigações, a Polícia Civil chegou ao principal suspeito de ter negociado a venda da arma (ABr)
19/03/2019

Polícia apreende suspeito de planejar massacre terrorista em Suzano

Na Grande SP

Polícia apreende suspeito de planejar massacre terrorista em Suzano

'Dimenor' de 17 anos é acusado de atuar no planejamento do massacre

A polícia apreendeu nesta terça (20) um menor suspeito de ter participado da organização do atentado terrorista que levou ao massacre de seis estudantes e dois funcionários da Escola Estadual Raul Brasil, na última quarta-feira (13), na cidade de Suzano, em São Paulo. Como se trata de um menor de idade, portanto inimputável, ele ficará à disposição da Justiça e, se considerado culpado, pamanecerá apenas três anos em “medida sócio-educativa” numa instituição para “menores em conflito com a lei”. Após esse período sairá – certamente pior que entrou – com ficha limpa. O pedido de apreensão foi formulado pela polícia. Num primeiro momento, o Ministério Público foi contra, mas a polícia insistiu e agora obteve com a Justiça a tutela do Estado.