Acusado de corrupção

suicídio

García era investigado por receber dinheiro ilegal da Odebrecht
17/04/2019

Ex-presidente do Peru Alan García morre após dar tiro na cabeça ao ser preso

Acusado de corrupção

Ex-presidente do Peru Alan García morre após dar tiro na cabeça ao ser preso

García era investigado por receber dinheiro ilegal da Odebrecht

O ex-presidente do Peru Alan García morreu na manhã desta quarta (17) quando ia ser detido pela polícia em sua casa no bairro de Miraflores, em Lima. García deu um tiro na cabeça e chegou a ser levado ao Hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana, para ser submetido a cirurgia, mas não resistiu. De acordo com informações médicas, o ex-presidente, 69 anos, teve três paradas cardíacas e foi reanimado. Ele deu entrada no hospital às 6h45, com perfurações de entrada e saída de bala no crânio. A Justiça peruana havia determinado sua prisão por dez dias. Ele é acusado de corrupção em caso envolvendo a Odebrecht e recebimento de dinheiro para a campanha eleitoral de 2006. A empreiteira brasileira é investigada no Peru por pagamento de propina em troca de contratos de infraestrutura no país. O presidente do Peru, Martín Vizcarra, lamentou no Twitter a morte de Alan García. “Consternado com a morte do ex-presidente. Envio minhas condolências à família e pessoas queridas”. (Com informações da Agência Brasil)
25/03/2019

Investigado na Lava Jato é encontrado morto em Porto Alegre

Suspeita de suicídio

Investigado na Lava Jato é encontrado morto em Porto Alegre

Antônio Claudio Albernaz Cordeiro foi preso em duas fases da operação

Apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como suspeito de atuar como doleiro da Odebrecht em pagamentos de propinas, Antônio Claudio Albernaz Cordeiro foi encontrado morto em Porto Alegre na tarde do último domingo (24). Conhecido como Tonico, o homem estava na sua casa, na zona sul da capital gaúcha, quando foi encontrado. A Polícia Civil do Rio Grande do Sul suspeita de suicídio. “Todos indicativos do levantamento preliminar apontam para suicídio, não há indicativo inicial de ter sido homicídio”, disse a delegada Vanessa Pitrez, diretora do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa. De acordo com Pitrez, um inquérito será instaurado. Tonico já havia sido preso temporariamente em decorrência de investigações da Operação Lava Jato. A primeira vez foi em 2016, parte da fase Xepa. Ele foi solto quatro dias depois por ordem do juiz Sergio Moro, atual ministro da Justiça. Foi a Xepa que desvendou o “departamento de propinas” da Odebrecht. A segunda prisão foi em 2018, parte da operação Câmbio, Desligo, um desdobramento da Lava Jato no Rio, que expôs uma rede de doleiros suspeitos de lavagem de dinheiro. No mesmo ano, Cordeiro foi alvo de um mandato de busca e apreensão na Operação Étimo, no Rio Grande do Sul, que investiga desvio de verbas entre 2000 e 2011. (FolhaPress)
20/03/2019

A cada 1 hora, uma criança ou adolescente morre por arma de fogo no Brasil

Violência

A cada 1 hora, uma criança ou adolescente morre por arma de fogo no Brasil

Entre 1997 e 2016, mais de 145 mil jovens com até 19 anos faleceram em consequência de disparos acidentais ou intencionais

A cada 60 minutos, uma criança ou um adolescente morre no Brasil em decorrência de ferimentos por arma de fogo. Entre 1997 e 2016, mais de 145 mil jovens com até 19 anos faleceram em consequência de disparos acidentais ou intencionais, como em casos de homicídio e suicídio. Os dados fazem parte de um levantamento divulgado nesta quarta (20) pela Sociedade Brasileira de Pediatria. De acordo com o estudo, que considerou dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, em 2016, ano mais recente disponível, foram registrados 9.517 óbitos entre crianças e adolescentes no país. O número é praticamente o dobro do identificado há 20 anos – 4.846 casos em 1997 – e representa, em valores absolutos, o pico da série histórica. O levantamento mostra que, a cada duas horas, uma criança ou adolescente dá entrada em um hospital da rede pública de saúde com ferimento por disparo de arma de fogo. Entre 1999 e 2018, foram registradas quase 96 mil internações de jovens com até 19 anos no Sistema Único de Saúde (SUS). Despesas As principais causas externas de morte por arma de fogo nessa faixa etária estão relacionadas a homicídios (94%), seguidos de intenções indeterminadas (4%), suicídios (2%) e acidentes (1%). No caso das internações, embora as tentativas de homicídio continuem na liderança (67%), é bastante expressivo o volume de acidentes (26%) envolvendo arma de fogo. A avaliação contabilizou ainda as despesas diretas do SUS com pacientes atendidos após contato com armas de fogo. Nos últimos 20 anos, as internações de crianças e adolescente provocadas por disparos custaram mais de R$ 210 milhões aos cofres públicos. O estudo considerou causas de morbidade hospitalar e mortalidade identificadas nas bases oficiais do Ministério da Saúde como acidentais, suicídios ou tentativas de suicídio, homicídios ou tentativas de homicídio e intenções indeterminadas. (ABr)
06/03/2019

Metade das mortes de jovens das Américas ocorre por causas evitáveis

Suicídio, trânsito, homicídios

Metade das mortes de jovens das Américas ocorre por causas evitáveis

Homicídios, acidentes de trânsito e suicídios são principais causas de óbito na região, diz Opas

A metade das mortes de jovens entre 10 e 24 anos em países do continente americano ocorre por causas evitáveis. As três principais são os homicídios, os acidentes de trânsito e os suicídios. O dado é de relatório recente da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) que analisa informações sobre a saúde dos jovens das Américas entre 2010 e 2018 O relatório registra que a taxa de mortalidade de jovens na região é maior entre os homens. Os homicídios matam a cada ano mais de 45 mil jovens entre 15 e 24 anos nas Américas. A maioria dos casos envolve armas de fogo. Outro dado mostra que a taxa de suicídios vem aumentando em toda a região e as mortes também atingem, principalmente, os jovens do sexo masculino.  São cerca de 12 mil mortes por suicídio a cada ano na faixa etária entre 15 e 24 anos. Em relação ao trânsito, os condutores jovens têm até dez vezes mais probabilidade de se envolver em acidentes que os adultos. Aproximadamente 30 mil jovens de 15 a 24 anos morrem a cada ano no trânsito nas Américas. O número de casos de gravidez entre jovens também foi analisado pela Opas. A conclusão é que a América Latina e o Caribe tiveram a segunda taxa mais alta de gravidez entre jovens de 15 a 19 anos no período entre 2010 e 2015. O informe sugere que, além de ações para melhorar a saúde dos jovens da região, é preciso que o atendimento envolva outras áreas, as famílias, as escolas e a comunidade para atuarem no sentido de melhorar as condições de vida dessa faixa etária. Sugere também a adoção de ações dirigidas a grupos vulneráveis como os indígenas e afrodescendentes. O relatório da Opas analisou dados de 48 países e territórios das Américas. (ABr)