#PC27

Polícia Civil

Operação mobiliza agentes em todos os estados; alvos são acusados de crimes como roubo, homicídio e estupro
24/04/2019

Polícia Civil busca foragidos por crimes graves em todo o país

#PC27

Polícia Civil busca foragidos por crimes graves em todo o país

Operação mobiliza agentes em todos os estados; alvos são acusados de crimes como roubo, homicídio e estupro

As polícias civis de todo o país cumprem na manhã desta quarta (24) mandados de prisão contra foragidos por crimes graves — como estupro, roubo e homicídio. Mais de mil mandados foram expedidos no âmbito da operação batizada de #PC27. Cada polícia civil fez um levantamento de inteligência sobre os mandados que precisavam ser cumpridos, expedidos então pela Justiça. Um balanço será divulgado ainda nesta quarta pela Polícia Civil do Distrito Federal com o número oficial de mandados e de presos durante a mega operação. Confira as ações que foram divulgadas até agora: Amapá Agentes cumpriram aproximadamente 80 mandados, sendo 41 de prisões. Distrito Federal Foram cumpridos cerca de 50 mandados de prisão temporária e preventiva. Minas Gerais Por enquanto, 20 mandados foram cumpridos só em Belo Horizonte. Paraíba Seis pessoas foram alvos de prisão até agora. Paraná Seriam 88 mandados de busca e apreensão e dezenas de prisão. São Paulo Cerca de 100 mandados estariam sendo cumpridos na manhã desta quarta. Sergipe Os agentes cumprem 40 mandados de prisão. Tocantins Na capital do estado são cumpridos 40 mandados de prisão. Piauí Agentes cumprem 30 mandados de prisão.
15/04/2019

Comissionado da Câmara de Vereadores de Maceió é preso suspeito de estupros

19 casos investigados

Comissionado da Câmara de Vereadores de Maceió é preso suspeito de estupros

Polícia Civil do estado investiga 19 casos; vereador Chico Filho afirmou que irá exonerar o servidor

O servidor comissionado da Câmara de Vereadores de Maceió Benício Vieira de Lima, 45 anos, foi preso na manhã desta segunda (15) pela Polícia Civil de Alagoas por suspeita de estupros. Sem resistir à prisão, o homem foi levado ao Complexo de Delegacias Especializadas (Code). Ao todo, 19 casos são investigados pela polícia — nove deles já confirmados, envolvendo crianças entre 11 e 18 anos. Os casos ocorreriam desde 2015. Segundo as investigações, o homem abordava as vítimas e, com uma arma de fogo, obrigava as mulheres a entrarem no carro ligado ao vereador com quem trabalhava. Benício levaria as vítimas para o seu local de trabalho. O vereador Chico Filho (PP) afirmou que irá exonerar o servidor e que não tinha conhecimento dos atos praticados por ele. Em nota, o vereador afirmou que repudia veementemente os crimes e que foi pego de surpresa, já que Benício tinha mais de 15 anos de convívio familiar. Em nota, a Câmara Municipal de Maceió expressou repúdio a qualquer tipo de crime, “sobretudo aquele que têm como alvo a inocência de crianças”. A Casa, por meio de sua Mesa Diretora, apoiou o posicionamento de Chico Leite e abriu inquérito administrativo para investigar o uso indevido do veículo pertencente à Câmara. “A Câmara presta ainda total apoio às autoridades policiais e se coloca à disposição para qualquer esclarecimento”, concluiu a Casa, em nota.
15/04/2019

Polícia Civil do Rio faz operação contra desvios de recursos da Saúde

Operação Pégaso

Polícia Civil do Rio faz operação contra desvios de recursos da Saúde

Dinheiro desviado teria sido usado para comprar uma operadora de planos de saúde

Policiais civis do Rio de Janeiro cumprem nesta segunda (15) mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de integrar uma quadrilha envolvida em desvios de recursos da saúde pública em pelo menos quatro municípios do interior paulista. Segundo informações oficiais, o dinheiro desviado foi usado para comprar uma operadora de planos de saúde. O grupo é suspeito de lavagem de dinheiro em um esquema internacional, uma vez que teria usado os recursos desviados em São Paulo para comprar uma operadora de saúde suplementar com sede em Niterói, no Rio de Janeiro, e abrangência nacional, em nome de “laranjas” (pessoas que emprestam seu nome para ocultar a identidade do verdadeiro proprietário). A segunda fase Operação Pégaso é um desdobramento da primeira etapa realizada em 3 de abril, quando um médico e sua esposa foram presos em um hotel de luxo de São José dos Campos (SP), acusados de desviar mais de R$ 20 milhões da saúde dos municípios de Cajamar, São Roque, Barueri e Campo Limpo, no interior paulista. Segundo as investigações, o casal era responsável por uma organização social que administrava diversos hospitais no interior de São Paulo. A Polícia Civil afirma que eles usaram cargos de direção para desviar o dinheiro. A ação de hoje ocorre simultaneamente em Niterói e nas cidades paulistas de São José dos Campos, Mairiporã, Jandira, Jundiaí e Osasco, além da capital paulista. A Polícia Civil de São Paulo está dando apoio à operação. (ABr)
08/04/2019

Justiça manda governo Renan Filho reformar delegacias sucateadas em Alagoas

'Promessas vazias'

Justiça manda governo Renan Filho reformar delegacias sucateadas em Alagoas

Juiz mandou Estado fornecer materiais básicos para trabalho de policiais de Joaquim Gomes e Flexeiras

O juiz Eric Baracho determinou hoje (8) que o Estado de Alagoas reforme as instalações físicas das Delegacias de Polícia Civil de Joaquim Gomes e Flexeiras. As obras deverão ser iniciadas em até 30 dias e concluídas em até 90 dias. Em caso de descumprimento, o Estado poderá pagar R$ 200 mil a cada mês de atraso. Pressionado pela reforma há um ano e meio, o governo de Renan Filho (MDB) foi acusado de fazer promessas vazias para solucionar os problemas denunciados desde 2016 pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol). E ainda foi obrigado a fornecer materiais de expediente básico, como computadores, impressora, ar-condicionado e materiais de escritórios, necessários para o trabalho dos policiais. Durante o período da reforma, as delegacias não poderão receber novos presos, segundo a decisão tomada no âmbito do processo que tramita sob o número 0800094-43.2017.8.02.0015. “Este magistrado não ignora ser necessário observar os limites orçamentários e dificuldades da Administração Pública estadual. Contudo, o juízo tem sido sensível a tais dificuldades desde 10 de outubro de 2017, situação na qual a Procuradoria Geral do Estado apresentou relatório bastante otimista para conclusão de obras, que até o momento somente representaram promessas vazias”, afirmou o juiz Eric Baracho, da Comarca de Joaquim Gomes, que atendeu pedido feito pelo Ministério Público. (Com informações da Dicom TJAL)