Novo governo

ministros

Agora só falta o presidente eleito escolher o ministro do Meio Ambiente
06/12/2018

Futuros ministros mostram desenho de estrutura para Bolsonaro

Novo governo

Futuros ministros mostram desenho de estrutura para Bolsonaro

Agora só falta o presidente eleito escolher o ministro do Meio Ambiente

Terminou há pouco a reunião do presidente eleito, Jair Bolsonaro, com os indicados para compor seu ministério. Futuro ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez foi o primeiro a deixar o local sem falar com a imprensa. Apenas confirmou que todos os indicados estavam presentes. Bolsonaro ainda precisa confirmar seu ministro do Meio Ambiente. A reunião começou pouco depois das 10h, no gabinete de transição, que está em funcionamento no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. O encontro foi marcado para que a equipe apresentasse ao presidente eleito uma sugestão do desenho consolidado da estrutura dos ministérios a partir do dia 1º de janeiro. Os trabalhos do governo de transição vêm ocorrendo no primeiro andar do CCBB desde 5 de novembro. À medida que novos nomes são anunciados para o primeiro escalão, técnicos e autoridades do atual governo começam a se debruçar, junto com os futuros ministros, sobre a estrutura esperada para o próximo mandato Executivo. Na última segunda-feira (3), o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, confirmado para a Casa Civil, divulgou o que pode ser a estrutura definitiva da Esplanada dos Ministérios no governo de Jair Bolsonaro. No total de 22 pastas, Onyx explicou que estão incluídos Banco Central (BC) e Advocacia-Geral da União (AGU), que deverão perder o status de ministério na próxima gestão, reduzindo posteriormente o número de pastas a 20. Pouco antes do encontro, Bolsonaro participou rapidamente de uma reunião organizada pelo futuro ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicação, Marcos Pontes, com integrantes da comunidade científica.
23/11/2018

Ministro de Direitos Humanos é nomeado para Conselho de Ética Pública

Mandato de três anos

Ministro de Direitos Humanos é nomeado para Conselho de Ética Pública

Colegiado é responsável pela investigação de ministros e servidores do governo federal

O Diário Oficial da União publica, na edição de hoje (23), a nomeação do atual ministro de Direitos Humanos e subchefe para Assuntos Jurídicos da Presidência da República, Gustavo do Valle Rocha, para a Comissão de Ética Pública. O colegiado é responsável pela investigação de ministros e servidores do governo federal. Essa foi a sexta indicação de Temer para o Conselho de Ética Pública, que tem sete membros. Como o mandato é de três anos, a maior parte da atuação de Valle será no governo de Jair Bolsonaro, que tomará posse na Presidência da República no dia 1º de janeiro de 2019. (ABr)
22/11/2018

Rodrigo Maia diz que DEM não faz parte do governo Bolsonaro

Ministros democratas

Rodrigo Maia diz que DEM não faz parte do governo Bolsonaro

Presidente da Câmara afirma que não há acordo com Bolsonaro

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (22) que o DEM não faz parte do futuro governo de Jair Bolsonaro, apesar de três dos novos ministros serem filiados ao partido. “Não há nenhuma indicação do DEM. O DEM não faz parte do governo”, enfatizou após participar de um almoço promovido pela Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig). São filiados a sigla os futuros ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura) e Luiz Henrique Mandetta (Saúde). Maia disse que o partido não participou diretamente das negociações para composição do ministério. “As indicações são de exclusiva responsabilidade do [fututo] presidente da República. O DEM não participou de nenhuma delas. Uma foi pessoal [Lorenzoni], outra foi [indicação d]a bancada ruralista. Aliás, foi o Alceu Moreira [deputado federal (MDB-RS)], que é meu possível adversário para eleição para presidente da Câmara, que levou a Tereza Cristina ao presidente para a sua indicação. O outro foi a bancada da saúde [Mandetta]”, disse. Mesmo negando que o partido componha o governo, Maia disse que o DEM no Congresso deve se alinhar com as propostas econômicas do próximo governo elaboradas pelo futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes. “ O DEM está pronto para votar as propostas que serão encaminhadas pelo Paulo Guedes porque acredita nelas, independente do governo. Se as propostas do Paulo Guedes fossem de outro presidente, nós estaríamos prontos para votar”. Próximas votações Para a próxima semana, o presidente da Câmara disse que deve entrar na pauta da Casa o projeto de securitização, que vai permitir que a União, estados e municípios vendam créditos de dívidas parceladas por contribuintes. Caso aprovada, a medida poderia ter efeitos imediatos para melhorar o caixa especialmente dos estados, que sofrem com falta de recursos. (ABr)
21/11/2018

Fux se reúne com Bolsonaro em meio à polêmica sobre reajuste ao STF

30 minutos

Fux se reúne com Bolsonaro em meio à polêmica sobre reajuste ao STF

Encontro durou 30 minutos e ministro saiu sem falar com a imprensa

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux esteve nesta quarta-feira, 21, por cerca de meia hora com o presidente eleito Jair Bolsonaro. Após o encontro, Fux saiu sem falar com a imprensa. O encontro ocorre no momento em que o presidente Michel Temer avalia a possibilidade de reajuste para os ministros do STF. Fux é o relator das liminares concedidas por ele, em 2014, que garantiram o pagamento de auxílio-moradia a juízes federais. O tema deverá entrar em pauta nos próximos dias. Antes da aprovação do aumento no Congresso Nacional, Bolsonaro afirmou que via com preocupação o reajuste aos ministros da suprema corte. O salário dos ministros do STF é o teto do salário do servidor público e serve como base para os salários de todos os magistrados do país. Segundo ministros do Supremo, o reajuste englobaria o auxílio-moradia, que “deixaria de existir”.