Tragédias consecutivas

flamengo

Presidente faz referência as tragédias que marcaram os brasileiros nos últimos dias
12/02/2019

“Somos um povo que supera as dificuldades”, diz Bolsonaro em mensagem no Twitter

Tragédias consecutivas

“Somos um povo que supera as dificuldades”, diz Bolsonaro em mensagem no Twitter

Presidente faz referência as tragédias que marcaram os brasileiros nos últimos dias

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou seu Twitter na tarde desta terça (12) para pedir que os brasileiros não percam as esperanças diante das tragédias que marcaram o país nos últimos dias. “Difícil não se afetar diante de tantas tragédias seguidas em tão pouco tempo, mas não devemos de maneira alguma perder nossa fé e esperança. Faz parte de nossa identidade. Somos um povo que supera as dificuldades”, afirmou o presidente. ‘Unidos, superaremos todas. Eu acredito no Brasil!” A primeira tragédia que chocou os brasileiros neste ano foi o rompimento da barragem da Mina do Feijão em Brumadinho, Minas Gerais, no dia 25 de janeiro. As informações mais recentes do governo do estado apontam que 165 pessoas morreram com o rompimento da barragem da mineradora Vale; 155 pessoas continuam desaparecidas e 138 estão desabrigadas.   Já na última quinta (6), um temporal com ventos de mais de 110 km/h atingiu o Rio de Janeiro, deixando sete mortos. Deslizamento de terra e queda de árvores foram alguns dos registros que ocorreram em diversos pontos da capital. Até esta terça, moradores ainda continuavam sem luz e com as casas interditadas. Nesta quarta (13), há previsão de mais chuva forte na cidade.   Um dia depois, na última sexta (8), os brasileiros permaneceram de luto após o centro de treinamento do Flamengo pegar fogo por causa de um curto-circuito. Dez adolescentes que jogavam no time de base do clube, com jogadores de 14 a 17 anos, morreram na tragédia; três ficaram feridos e foram hospitalizados. Um deles já teve alta do hospital.   Nesta segunda (11), outro grave acidente marcou o 2019 dos brasileiros: o jornalista Ricardo Boechat morreu após o helicóptero em que estava cair em um trecho do Rodoanel, em São Paulo. O piloto também morreu no acidente. A morte do jornalista, considerado um dos maiores nomes do país, comoveu o país. O velório no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, reuniu não só parentes e amigos, mas também fãs do jornalista.
11/02/2019

Centro de Treinamento do Flamengo passará por vistoria e poderá ser interditado

Ninho do Urubu

Centro de Treinamento do Flamengo passará por vistoria e poderá ser interditado

Dependendo do que for constatado, não está descartada nem mesmo a interdição total ou parcial do local

O Centro de Treinamento (CT) do Flamengo, conhecido como Ninho do Urubu, onde 10 jogadores morreram em um incêndio na última sexta-feira (8), passará amanhã (12) por vistoria de diversos órgãos. Dependendo do que for constatado, não está descartada nem mesmo a interdição total ou parcial do local. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (11), após uma reunião entre representabtres do clube, do Ministério Público (MP), da Defensoria Pública, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Civil e da prefeitura do Rio. O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, ressaltou que a diretoria do Flamengo assumiu todas as suas responsabilidades na tragédia e se comprometeu a dar todo tipo de acolhimento às famílias dos jogadores. Gussem disse que a vistoria no Ninho do Urubu poderá gerar até mesmo sua interdição total ou parcial. “Iremos realizar, a partir de amanhã, perícias amplas no centro de treinamento, com todas as estruturas governamentais, para que possamos analisar em que condições se encontra o CT e se há necessidade de uma interrupção plena ou parcial das atividades. Iremos junto com o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil, a prefeitura do Rio e o Ministério Público do Trabalho fazendo essas análises pormenorizadas”, disse Gussem, após a reunião. O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, fez um pronunciamento e saiu sem responder a perguntas de jornalistas. Ele reiterou que todos os esforços no momento são no sentido de amparar as famílias das vítimas. “O foco principal é assistir às famílias. O clube, nesses dias, trouxe os familiares para o Rio. Colocamos psicólogos, não poupamos recursos para minimizar a dor e o sofrimento dessas pessoas. Falamos da nossa vontade de indenizar essas famílias o mais rapidamente possível, buscando com a Defensoria um processo de mediação, fazendo com que isso possa terminar o mais rápido possível. Pois, às vezes, os processos judiciais demoram muito tempo. Caso haja algum tipo de pendência para a manutenção do centro de treinamento, nós estaremos focados para corrigir isso no menor prazo possível”, disse Landim. O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro, Fábio Goulart Vilella, que também participou da reunião, disse que a entidade fará um esforço para fiscalizar todos os centros de treinamento no estado do Rio. Uma nova reunião foi marcada para a próxima sexta-feira (15), para avaliar os resultados da perícia.(ABr)
10/02/2019

‘Dá a impressão de não ser uma fatalidade’, diz Zico sobre incêndio no Flamengo

Faltou planejamento

‘Dá a impressão de não ser uma fatalidade’, diz Zico sobre incêndio no Flamengo

Ídolo rubro-negro criticou improviso em contêineres onde morreram dez jogadores

O ídolo do Flamengo e do futebol brasileiro, Zico, criticou o clube por usar contêineres como dormitório dos jogadores da base do time. O incêndio da última sexta-feira (8) matou 10 atletas. Diretor técnico do Kashima Antlers, Zico questionou por que o Flamengo não tomou providências após ser multado pela prefeitura. E também avaliou o local como inadequado para que os jovens passassem a noite. “Eu nem imaginava que ainda havia jovens que moravam lá no CT novo. Tomei um susto maior com isso, porque eu achava que eles tinham pegado uma casa ali do lado e colocado os meninos da base. Quando vi a foto, eu falei que só podia ser onde tem a parte dos contêineres, que não foram feitos para isso”, disse Zico, em entrevista ao SporTV. Quando visitou os contêineres do Ninho do Urubu, Zico imaginava que seria um local para profissionais descansarem entre os treinos da manhã e da tarde. “Não tenho claustrofobia, mas se acontecesse alguma coisa, por onde você vai sair? Como vai escapar?”. Zico atribuiu responsabilidade ao Flamengo por não ter feito melhorias no local. “Se você é multado 30 vezes, você não pode empurrar aquilo com a barriga para ser multado mais 20. Alguma coisa tem que ser feita”, afirmou. “Deu a impressão de que aquilo ali não era uma coisa que todo mundo sabia que existia como moradia. A base tem que ter um planejamento para todos os sentidos. A tragédia não avisa, ela é inesperada”, acrescentou Zico. “Situações como essa fica dando a impressão de não ser fatalidade.”, concluiu. (Folhapress)
10/02/2019

MP reunirá dirigentes do Flamengo para avaliar medidas após mortes em incêndio

Dez mortos

MP reunirá dirigentes do Flamengo para avaliar medidas após mortes em incêndio

Objetivo é buscar apoio imediato a famílias de vítimas e sanar irregularidades

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) convocou para esta segunda (11) reunião com dirigentes do Flamengo e autoridades para discutir o incêndio no centro de treinamento do clube que deixou dez mortos e três feridos na sexta (8). O objetivo, segundo a promotoria, é buscar soluções imediatas relativas às famílias atingidas e a regularização das instalações do clube, que não têm alvará da prefeitura nem certificado de autorização do Corpo de Bombeiros. Participarão do encontro o Ministério Público do Trabalho, a Defensoria Pública do Estado do Rio, a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros e a prefeitura do Rio. O Ministério Público informou que convidou representantes do Flamengo, que confirmaram presença. O clube trouxe ao Rio familiares das treze vítimas do incêndio. Três continuam hospitalizadas, sendo uma em estado grave. Os dez mortos já foram identificados pelo IML (Instituto Médico Legal) e liberados para suas famílias. Quatro deles, já foram sepultados. No sábado (9), o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, participou de reuniões com as famílias em um hotel na zona oeste da cidade. Ele garantiu apoio financeiro e psicológico às famílias e disse que o clube bancaria traslado e sepultamento dos corpos. As reuniões contaram ainda com o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, e com o médico do clube, Marcio Tannure, além de assistentes sociais e psicólogos. As vítimas fatais do incêndio foram Arthur Vinicius de Barros Silva; Pablo Henrique da Silva Matos; Vitor Isaias Coelho da Silva; Bernardo Augusto Manzke Pisetta; Gedson Corgosinho Beltrão dos Santos; Athila de Souza Paixão; Christian Esmerio Candido; Rykelmo de Souza Viana; Jorge Eduardo dos Santos Pereira Dias e Samuel Thomas de Souza Rosa. (Com informações da Folhapress)