59 anos

DF

Capital completa 59 anos no dia 21 de abril; bancada do DF e figuras importantes para a cidade estão presentes
15/04/2019

Câmara realiza sessão solene em homenagem ao aniversário de Brasília

59 anos

Câmara realiza sessão solene em homenagem ao aniversário de Brasília

Capital completa 59 anos no dia 21 de abril; bancada do DF e figuras importantes para a cidade estão presentes

A capital federal completa 59 anos no próximo domingo (21) e as homenagens a Brasília já começaram na Câmara dos Deputados. Acontece na manhã desta segunda (15) uma sessão solene em homenagem ao aniversário da cidade. A sessão foi presidida pela deputada federal Flávia Arruda (PR-DF) e contou com a presença do vice-governador do DF, Paco Britto. A bancada eleita no Distrito Federal, também pela Câmara Legislativa e no Senado, e figuras importantes para a construção da capital, inaugurada em 1960 pelo então presidente Juscelino Kubitschek, estão presentes na sessão especial. Por meio de uma carta lida pela deputada Flávia Arruda, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, parabenizou a cidade. Segundo o deputado, Brasília foi construída com o objetivo de representar o povo brasileiro como um todo. “Brasília mostra o país que somos e o que podemos ser, por isso festejar o aniversário de Brasília é festejar esse processo de construção nacional.” Brasília é a maior cidade do mundo construída no século XX. Por seu conjunto arquitetônico e urbanístico — idealizado por nomes como Lúcio Costa e Oscar Niemeyer —, a capital federal é considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO. Em 2017, Brasília atingiu a marca dos 3 milhões de habitantes.
29/03/2019

Detran multa até quem não estava dirigindo, tudo pela indústria da multa

"Se colar, colou"

Detran multa até quem não estava dirigindo, tudo pela indústria da multa

Não há um só motorista que já tenha visto agentes do Detran-DF fiscalizando esse tipo de infração, e o “se colar, colou” acabou colando. O órgão faturou mais R$3.568.023,48 para a indústria da multa.
28/03/2019

Decisão de ministros do TCU mergulha o DF em uma crise sem precedentes

TCU detona o DF

Decisão de ministros do TCU mergulha o DF em uma crise sem precedentes

Eles querem tirar R$700 milhões do DF, provocando grave crise econômica

Decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), nesta quarta (27), confiscando R$700 milhões, pode mergulhar o Distrito Federal numa crise sem precedentes, semelhante a de estados como o Rio Grande do Sul, quando os salários foram parcelados e serviços públicos suspensos. Ministros do TCU julgaram disputa entre o DF e a União que só pode ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal, segundo a Constituição. O governador Ibaneis Rocha (DF) levará o caso ao STF. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. Ibaneis atuou como advogado na sessão do TCU, mas o esforço não venceu a má vontade de parte dos ministros em relação a Brasília. Votaram contra Brasília no TCU Aroldo Cedraz, Benjamin Zymler, Bruno Dantas, Vital do Rêgo e Walton Alencar. Favoráveis à cidade votaram apenas os ministros Raimundo Carreiro e Augusto Nardes. A questão União x DF tem a ver com a receita de imposto de renda sobre repasses federais para soldos de policiais militares e bombeiros.
23/03/2019

Transferência do criminoso ‘Marcola’ para Brasília revolta a população

Perigo

Transferência do criminoso ‘Marcola’ para Brasília revolta a população

Condenado a 330 anos de cadeia, bandidão nº 1 do País é um perigo

A transferência do bandido nº 1 do País para o presídio federal de Brasília deixou a população apreensiva e o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), revoltado. Não é para menos. Condenado a mais de 330 anos de prisão, Marcos Camacho, o “Marcola”, é um perigo. Criminoso cruel, ele lidera a facção que controla presídios, ordena rebeliões e a execução de pessoas e toca o terror mandando incendiar ônibus e atacar prédios públicos, como tem acontecido em cidades no Ceará. Marcola era o maior problema na Papuda, onde ficou algum tempo, segundo lembra o ex-titular da Vara de Execuções Penais do DF. O juiz Ademar Silva Vasconcelos recorda a capacidade de Marcola de organizar grupos para promover rebeliões, em presídios.  Cada transferência para presídios federais faz crescer o poder de lideranças da fação criminosa na hierarquia da organização.