Transporte de propina

delações

Veículos teriam sido usados para o pagamento de propinas
11/01/2019

Rastreadores de carros de Palocci podem provar delações

Transporte de propina

Rastreadores de carros de Palocci podem provar delações

Veículos teriam sido usados para o pagamento de propinas

As delações do ex-ministro Antonio Palocci têm como provas dados dos rastreadores dos carros do petista, segundo a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo. Isso porque os veículos teriam sido usados para o pagamento de propinas. Palocci assinou na quarta-feira, 9, o seu terceiro acordo de colaboração premiada, desta vez com a força-tarefa da Operação Greenfield, do Ministério Público Federal de Brasília, que investiga esquema de fraude em fundos de pensão. Ele entregou os dados dos rastreadores para os procuradores. Com as informações, os investigadores podem cruzar datas de movimentações financeiras com os trajetos feitos nos dias específicos. As informações também foram usadas por policiais federais de Curitiba e de Brasília, nos outros dois acordos celebrados por Palocci.
17/08/2018

Juiz Bretas não vê mudanças nas delações em razão de decisão do STF

Combate à corrupção

Juiz Bretas não vê mudanças nas delações em razão de decisão do STF

Denúncia baseada apenas em delação deve ser analisada caso a caso, defendeu juiz da Lava Jato no Rio

O juiz Marcelo Bretas, da 7a Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, que atua na Lava Jato, comentou hoje (17) a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de rejeitar denúncia baseada apenas em delação. O magistrado disse que não vê mudança no uso de delações nas investigações de combate à corrupção. Ele participou de evento na Câmara Americana de Comércio (Amcham), na capital paulista. “Eu não vejo mudanças nas delações. Parece que houve decisão de não prestigiar alguns acordos, mas isso tem que ser analisado caso a caso. Eu, por exemplo, não conheço as provas que constam naquele processo, então não poderia comentar”, disse Bretas. Na última quarta-feira (14), o STF rejeitou a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Ciro Nogueira (PP-PI) e dois acusados por corrupção e lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato. No entendimento do Supremo, os delatores não apresentaram comprovações para corroborarem suas citações nos depoimentos de delação contra o senador. “Eu sei dos processos que estão sob a minha responsabilidade, tenho sempre o cuidado de conferir se aquilo que está sendo dito, também está sendo provado. O que a lei restringe é que não deve haver condenação com base exclusivamente no depoimento”, declarou o juiz. (Agência Brasil)
10/06/2018

Enroladas da Lava Jato já faturam R$143 milhões no governo

Lava Jato

Enroladas da Lava Jato já faturam R$143 milhões no governo

Empreiteiras que roubaram a Petrobras voltam a faturar alto no governo

As empreiteiras enroladas na Lava Jato embolsaram R$142,9 milhões desde o início de 2018 em contratos com o governo federal, apesar de toda roubalheira que fizeram na Petrobras. A Odebrecht, que teve mais de 70 acordos de delação premiada fechados por executivos para dar detalhes das maracutaias da empresa, continua a mais “prestigiada” e faturou R$ 94,8 milhões; exatos dois terços do total pago até agora. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. Mesmo com o maior faturamento, a Odebrecht está a anos luz dos R$3 bilhões que recebeu de 2012 a 2014, auge do relacionamento com PT. Em 2016, o valor recebido apenas nos cinco primeiros meses do ano foi cerca de cinco vezes superior ao atual: R$662 milhões. Faturam menos Queiroz Galvão (R$23,3 milhões), Constran (R$13,3 milhões), Galvão (R$9,7 milhões) e Engevix (R$1,6 milhão). Outras empreiteiras não receberam nada até agora. Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, OAS e Mendes Júnior estão zeradas.
07/06/2018

Deputados e partidos investigados querem criar CPI contra delações

Deputados e partidos investigados querem criar CPI contra delações

Um grupo de 16 deputados federais, oito deles do PT, vários denunciados ou investigados por corrupção, fazem uma nova investida para investigar os investigadores. Eles protocolaram requerimento de criação de CPI para investigar supostas manipulações nos acordos de delação premiada em operações como a Lava Jato. SAIBA MAIS: https://bit.ly/2kR5G03