Reforma urgente

comunicação

Governo prepara estratégia para convencer público e parlamentares
11/02/2019

Maior desafio da reforma da Previdência é comunicação

Reforma urgente

Maior desafio da reforma da Previdência é comunicação

Governo prepara estratégia para convencer público e parlamentares

A reforma da Previdência é consensual, mas até os seus defensores mais exaltados advertem para a necessidade de o governo caprichar na “comunicação”, até para deixar os parlamentares mais confortáveis na sua defesa. Ocupar os espaços esclarecendo fatos e apontando os privilégios que precisam acabar também é muito importante na “guerra” da comunicação, segundo o líder do Partido Novo na Câmara, deputado Marcel van Hatten (RS), que tem mestrado no assunto. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. O desafio do governo é convencer a população da necessidade de reformar para que, no futuro breve, a Previdência não se inviabilize. O governo prepara campanha na TV, rádio, jornal e internet explicando que o País precisa reformar a Previdência para crescer e não quebrar. Parlamentares de esquerda costumam aproveitam os espaços do “contraditório”, na imprensa, para tentar espalhar o “terror” da reforma. Para ser aprovada, a PEC da reforma precisa de 308 votos em 513 deputados e de 49 dos 81 senadores. O governo acha que os tem.
12/12/2018

Ministério da Justiça faz licitação de última hora, antes do início do governo

Licitação suspeita

Ministério da Justiça faz licitação de última hora, antes do início do governo

Governo atual quer escolher assessoria para trabalhar com Sérgio Moro

O Ministério da Justiça fará licitação de última hora nesta quarta (12), a 20 dias da posse do novo governo, a fim de contratar empresa para prestar serviços de assessoria de imprensa. A iniciativa parece pretender impor a vencedora ao futuro ministro Sérgio Moro. O pregão eletrônico nº 18/2018 prevê contrato de quase R$6 milhões. Custo bem maior que o de redações de importantes veículos de comunicação. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. A Associação Brasileiras de Agências de Comunicação (Abracom) tentou impugnar a estranha a licitação. Em vão. Só para aumentar a desconfiança, o Ministério da Justiça disse que não existe contrato em vigor para os serviços que serão licitados. Após denúncias do site Diário do Poder em novembro, duas licitações milionárias (Caixa e outra do Banco do Brasil) foram suspensas.
30/06/2018

TSE, empresas e partidos contra Fake News

Fake News

TSE, empresas e partidos contra Fake News

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, informou que 20 dos 35 partidos políticos já assinaram acordo de não-proliferação de notícias falsas. O acordo também foi firmado com empresas de tecnologia e comunicação. O objetivo é eliminar a disseminação de notícias falsas, as “Fake News” durante o período eleitoral. SAIBA MAIS: – https://bit.ly/2yU7YoX
25/06/2018

GDF vai bloquear conteúdos noticiosos do governo e perfis das redes sociais

Período eleitoral

GDF vai bloquear conteúdos noticiosos do governo e perfis das redes sociais

Publicidade e comunicação de atos de governo são suspensas nos três meses que antecedem as eleições

O governo de Brasília vai bloquear a partir de 7 de julho os conteúdos noticiosos, os perfis e as págias nas redes sociais dos órgãos integrantes da administração pública direta — secretarias e administrações regionais — e indireta — autarquias, fundações, institutos, empresas públicas e sociedades de economia mista. A medida cumpre as orientações da instrução normativa da Secretaria de Comunicação do Distrito Federal, que suspende a publicidade e a comunicação de atos de governo nos três meses que antecedem a eleição. A suspensão permanece até o dia 28 de outubro, quando ocorre o segundo turno. O site da Agência Brasília também ficará fora do ar durante esse período. Ficam disponíveis online as páginas e os sites de: – Secretarias de Estado – Administrações regionais; – Autarquias; – Fundações; – Institutos; – Empresas públicas; – Sociedades de economia mista. No entanto, links que apontem para textos de caráter e personalidade informativos não poderão exibir, assim como a publicação de reportagens, fotos, vídeos ou artes e desenhos gráficos oficiais. Os perfis mantidos no Facebook, Instagram, Twitter, Flickr e YouTube também estão impostas a essas proibições. Apenas prestação de serviços indispensáveis serão divulgados nesses sites. Confira outras condutas vedadas, de acordo com o Manual de Orientação de Condutas Vedadas aos Agentes Públicos: – Ceder ou usar bens móveis ou imóveis da administração pública em benefício de candidato, partido político ou coligação, ressalvada a realização de convenção partidária; – Usar materiais ou serviços da administração pública ou por ela custeados em benefício de candidato, partido político ou coligação, que excedam as prerrogativas consignadas nas normas dos órgãos ou entidades que integram; – Prestar serviços ou ceder agentes públicos para campanha eleitoral no horário de expediente normal; – Fazer ou permitir uso promocional de distribuição de bens e serviços de caráter social, custeados ou subvencionados pela administração pública em favor de candidato, partido político ou coligação; – Fazer ou permitir propaganda eleitoral nos prédios ou no interior das repartições da administração pública, bem como nos veículos oficiais ou a serviço do Estado, ainda que fora do horário de expediente; – Usar vestes ou acessórios que ostentem propaganda eleitoral no período em que estiver no exercício das atividades funcionais. (Com informações da Agência Brasília)