Mudança no GDF

chefe

Governador do DF, Ibaneis confirma saída de Novacki, que pode assumir cargo no governo federal
13/05/2019

Chefe da Casa Civil, Eumar Novacki vai deixar o governo do DF

Mudança no GDF

Chefe da Casa Civil, Eumar Novacki vai deixar o governo do DF

Governador do DF, Ibaneis confirma saída de Novacki, que pode assumir cargo no governo federal

Secretário de Estado Chefe da Casa Civil do Governo do Distrito Federal, Eumar Novacki vai se demitir da administração estadual. O coronel da Polícia Militar está no cargo desde 1º de janeiro deste ano e foi dos primeiros anunciados logo após a eleição de 2018. Procurado pelo Diário do Poder, o governador Ibaneis Rocha (MDB) confirmou a saída de Novacki. Perguntado sobre quem será o novo secretário, Ibaneis respondeu: “Definiremos o substituto sem pressa”. Amigos e auxiliares dizem que Novacki “cansou”, mas há a expectativa de ele pode assumir um novo cargo, mas no governo federal. Novacki é Bacharel em Direito, com Pós-Graduação em Gestão Estratégica e Mestre em Administração Pública. Também participou da administração Blairo Maggi, no Mato Grosso.
07/11/2018

DF: Ibaneis Rocha escolhe a primeira mulher para comandar a PM

Governo do DF

DF: Ibaneis Rocha escolhe a primeira mulher para comandar a PM

Delegado federal Anderson Torres será o Secretário de Segurança

O governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), escolheu na noite desta quarta-feira (7) a coronel Sheyla Soares Sampaio será a Comandante Geral da Polícia Militar do DF. É a primeira mulher a ocupar o cargo na História do DF. Ibaneis também indicou o delegado da Polícia Federal Anderson Torres para chefiar a Secretaria de Segurança Pública do DF. Sheyla Sampaio se formou oficial da PM e tem um MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão pela Fundação Getúlio Vargas. Ela comandou o 1º Batalhão da PM entre 2013 e 2016 e foi subdiretora de Recrutamento e Seleção da PM-DF. Ao conversar com o Diário do Poder, a coronel afirmou ter ficado muito feliz com o convite do qual, ela acredita ter sido feito pelo governador eleito tendo como crivo o trabalho já realizado por ela dentro da Polícia Militar do Distrito Federal. ” Acredito que essa escolha foi técnica, tendo em vista o melhoramento da corporação”. O delegado Anderson Torres já informou à PF que foi convidado ao cargo e foi liberado pela corporação para aceitar o convite do governador Ibaneis. Ambos assumem os cargos no dia 1º de janeiro de 2019.
17/09/2018

Cristina Kirchner é processada no caso de subornos; juiz pede prisão preventiva

Corrupção na Argentina

Cristina Kirchner é processada no caso de subornos; juiz pede prisão preventiva

Por ter foro privilegiado, ex-presidente da Argentina não pode ser presa sem crivo do Senado

A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner foi processada nesta segunda-feira, 17, no caso conhecido como “cadernos das propinas”, que envolve subornos em obras públicas do país, empresários e ex-funcionários do governo, entre 2005 e 2015. Na decisão, o juiz Claudio Bonadio acusa Cristina de ser membro de uma associação ilícita e comandar uma estrutura para a arrecadação de fundos ilegais. Ele também acusa o marido de Cristina, o ex-presidente Néstor Kirchner, que morreu em 2010, e o ex-ministro de Planejamento Julio de Vido. O juiz ainda pediu a prisão preventiva da senadora e ex-presidente, mas por ter foro privilegiado, o pedido precisa ser aprovado pelo Senado argentino, de maioria peronista. Com este caso, Cristina Kirchner passa a responder a cinco processos. Segundo investigações, mais de 20 empresas participaram do circuito que teria movimentado mais de US$ 160 milhões de dólares. As empresas venceram licitações durante os 12 anos do kirchnerismo na Argentina. A causa judicial se baseia em anotações feitas por um ex-motorista do Ministério de Planejamento, Oscar Centeno, em 8 cadernos escolares. Durante 10 anos, Centeno era o responsável pela entrega das sacolas com a propina. No que seria uma espécie de “diário da corrupção”, ele anotou cada movimento com riqueza de detalhes: datas, horários, placas de carros, nomes, endereços e montantes. Algumas vezes fotografou e filmou. O dinheiro era recolhido semanalmente e teria sido entregue aos Kirchner em mãos. Diversos empresários confessaram as propinas.
05/09/2018

TJ nega, por unanimidade, indenização que Lula exigia de Dallagnol

Lava Jato

TJ nega, por unanimidade, indenização que Lula exigia de Dallagnol

Procurador acusou ex-presidente de chefiar uma organização criminosa

O Tribunal de Justiça de São Paulo negou, por unanimidade, nesta quarta-feira, 5, o pedido de indenização por danos morais movido pelo ex-presidente Lula contra o procurador Deltan Dallagnol. Os advogados de Lula acusaram Dallagnol de promover “injustificáveis ataques à honra, imagem e reputação” de Lula, “com abuso de autoridade” durante a coletiva de imprensa realizada em 14 de setembro de 2016, durante a qual, o procurador apresentou denúncia criminal contra Lula. Na coletiva, Dallagnol mostrou um power point com o nome de Lula no centro e atribuiu a ele o papel de chefe de uma organização criminosa. De acordo com o relator do caso no TJSP, desembargador Salles Rossi, o procurador da República não agiu com excesso em sua apresentação da denúncia, como alegado pela defesa de Lula. Para o magistrado, é um dever da organização (Ministério Público) divulgar suas ações e atribuições. O desembargador também entendeu que não houve um “espetáculo” – o que também foi alegado pela defesa do ex-presidente – por parte Deltan Dallagnol ao convocar uma entrevista coletiva para apresentar a denúncia contra Lula.