Assessora de Malta

CCBB

A pasta será responsável pela Fundação Nacional do índio (Funai)
06/12/2018

Onyx Lorenzoni confirma Damares Alves como ministra dos Direitos Humanos

Assessora de Malta

Onyx Lorenzoni confirma Damares Alves como ministra dos Direitos Humanos

A pasta será responsável pela Fundação Nacional do índio (Funai)

O  futuro ministro-chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni (DEM-RS) confirmou, nesta quinta-feira (6), o nome da pastora Damares Alves para assumir o Ministério de Direitos Humanos, Família e Direitos da Mulher. Ontem, o vice-presidente eleito general Hamilton Mourão (PRTB) já havia afirmado que estava definido o nome da advogada para o comando da pasta. Damares é assessora parlamentar do senador Magno Malta (PR-ES) desde 2015. Segundo a pastora, o senador ficou feliz com a indicação dela para integrar o governo de Jair Bolsonaro. Durante a entrevista coletiva no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a futura ministra revelou que a infância será prioridade em sua gestão. “Nunca a infância foi tão atingida como nos dias de hoje. Nós vamos propor um pacto pela infância”. A pastora afirmou que deseja criar políticas públicas para mulheres que estão anônimas e invisíveis na sociedade, “mulher ribeirinha, mulher pescadora, a mulher catadora de siri, a quebradora de coco”. Onyx ressaltou que a partir de 2019, a pasta ficará responsável pela Fundação Nacional do índio (Funai). O que vai de encontro ao pedido feito mais cedo por lideranças indígenas, que hoje estiveram na CCBB para entregar uma carta com reivindicações, entre elas que a fundação fique sob o comando do Ministério da Justiça. Sobre isso, Damares destacou, “Funai não é problema neste governo, índio não é problema. O presidente só estava esperando o melhor lugar para colocar a Funai. E nós entendemos que é o Ministério dos Direitos Humanos, porque índio é gente, e índio precisa ser visto de uma forma como um todo. Índio não é só terra, índio também é gente”.  
06/12/2018

Futuros ministros mostram desenho de estrutura para Bolsonaro

Novo governo

Futuros ministros mostram desenho de estrutura para Bolsonaro

Agora só falta o presidente eleito escolher o ministro do Meio Ambiente

Terminou há pouco a reunião do presidente eleito, Jair Bolsonaro, com os indicados para compor seu ministério. Futuro ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez foi o primeiro a deixar o local sem falar com a imprensa. Apenas confirmou que todos os indicados estavam presentes. Bolsonaro ainda precisa confirmar seu ministro do Meio Ambiente. A reunião começou pouco depois das 10h, no gabinete de transição, que está em funcionamento no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. O encontro foi marcado para que a equipe apresentasse ao presidente eleito uma sugestão do desenho consolidado da estrutura dos ministérios a partir do dia 1º de janeiro. Os trabalhos do governo de transição vêm ocorrendo no primeiro andar do CCBB desde 5 de novembro. À medida que novos nomes são anunciados para o primeiro escalão, técnicos e autoridades do atual governo começam a se debruçar, junto com os futuros ministros, sobre a estrutura esperada para o próximo mandato Executivo. Na última segunda-feira (3), o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, confirmado para a Casa Civil, divulgou o que pode ser a estrutura definitiva da Esplanada dos Ministérios no governo de Jair Bolsonaro. No total de 22 pastas, Onyx explicou que estão incluídos Banco Central (BC) e Advocacia-Geral da União (AGU), que deverão perder o status de ministério na próxima gestão, reduzindo posteriormente o número de pastas a 20. Pouco antes do encontro, Bolsonaro participou rapidamente de uma reunião organizada pelo futuro ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicação, Marcos Pontes, com integrantes da comunidade científica.
22/11/2018

Bolsonaro tem encontro com Mozart Neves Ramos, favorito para o MEC

Possível ministro

Bolsonaro tem encontro com Mozart Neves Ramos, favorito para o MEC

Diretor do Instituto Ayrton Senna e ex-reitor foi sugerido por Viviane Senna

No terceiro dia em Brasília, o presidente eleito Jair Bolsonaro deverá se reunir nesta quinta (22) com o educador Mozart Neves Ramos, diretor do Instituto Ayrton Senna. Ele está cotado para assumir o Ministério da Educação, por sugestão de Viviane Senna, presidente da ONG, mas ontem na sua conta de Twitter, Bolsonaro disse que a escolha ainda não estava definida. Em nota, o Instituto Ayrton Senna confirmou apenas o encontro para uma “uma reunião técnica” entre Mozart Ramos e Bolsonaro. O comunicado negou um eventual convite. O educador é defensor do ensino integral e tem um histórico na área de educação. Bolsonaro deverá participar de reuniões no gabinete de transição, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). À noite, ele e a mulher, Michelle Bolsonaro, são convidados para o casamento do ministro extraordinário da Transição, Onyx Lorenzoni. O ministro se casa com a noiva, Denise, em uma cerimônia restrita a amigos e família em um clube de Brasília. (ABr)
06/11/2018

Veja detalhes da estrutura em que o governo de transição será instalado

Centro de transição

Veja detalhes da estrutura em que o governo de transição será instalado

São mais de 2.000 metros quadrados usados pela equipe de Bolsonaro

Oficialmente abertas nesta semana as atividades das equipes de transição de governo, as equipes do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e do presidente Michel Temer (MDB) vão trabalhar em um espaço reservado no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília (DF). A área entregue à equipe de Bolsonaro tem cerca de 2.000 metros quadrados totalmente equipado para o trabalho de preparação do futuro governo, com recepção, salas de reunião, gabinetes etc. A área teve segurança reforçada no entorno do prédio, com grades; e no acesso, com detectores de metais. E já existe estrutura pronta com gabinetes e área de trabalho para assessores e imprensa, neste trabalho de intensa troca de informações entre o atual e o futuro governo. Veja em detalhes onde o governo de transição será instalado: