Megaoperação

busca e apreensão

Suspeitos são acusados de desviar R$30 milhões entre 2017 e 2018
09/05/2019

Polícia Civil mira esquema de desvio de dinheiro no Banco do Brasil

Megaoperação

Polícia Civil mira esquema de desvio de dinheiro no Banco do Brasil

Suspeitos são acusados de desviar R$30 milhões entre 2017 e 2018

Uma megaoperação da Polícia Civil, deflagrada na manhã desta quinta (9), mira um esquema de desvio de dinheiro no Banco do Brasil. Os supeitos são acusados de desviar quase R$ 30 milhões entre 2017 e 2018. Entre os alvos de mandado de prisão estão dois ex-funcionários do banco e empresários de terceirizados da instituição, que tinham contratos para realizar a cobrança de dívidas de clientes. Os agentes cumprem 17 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão em oito estados — Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná e Pernambuco — e no Distrito Federal.
29/04/2019

PF cumpre mandado de busca na sede do PSL em Minas Gerais

Candidatura laranja

PF cumpre mandado de busca na sede do PSL em Minas Gerais

Operação investiga supostas candidaturas laranja durante a eleição de 2018

A Polícia Federal cumpre na manhã desta segunda (29) mandado de busca e apreensão na sede do PSL em Minas Gerais, na capital Belo Horizonte. Operação investiga supostas candidaturas laranja durante a eleição do ano passado. Uma gráfica em Belo Horizonte e duas em Contagem também são alvos de busca. Ao todo, são cumpridos sete mandados em BH e quatro cidades mineiras. Documentos relativos a materiais gráficos para campanhas eleitorais foram apreendidos. No período investigado, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, era presidente do PSL em Minas. No entanto, o ministro não é alvo da operação batizada de Sufrágio Ostentação. A Justiça de Minas Gerais investiga desde fevereiro supostas irregularidades no repasse de recursos do PSL no Fundo Especial de Financiamento de Campanha para quatro candidatas nas eleições do ano passado. A votação inexpressiva dessas candidatas chamou atenção dos investigadores, levantando suspeita de candidatura laranja.
17/04/2019

PF faz operação contra fraudes na Previdência Social no Rio

Documentos falsificados

PF faz operação contra fraudes na Previdência Social no Rio

Investigações identificaram esquema de falsificação de documentos públicos para concessão irregular de benefícios

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta quarta (17) dois mandados de busca e apreensão na zona norte do Rio de Janeiro, em uma ação contra fraudes na Previdência Social. De acordo com a PF, investigações iniciadas em 2017 identificaram um esquema criminoso de falsificação de documentos públicos para concessão irregular de pensão por morte e benefícios de Prestação Continuada (BPC). Os mandados estão sendo cumpridos nos bairros do Cachambi e Anchieta. Os alvos da Operação Casa de Fraudes 2 são suspeitos de atuar, intermediando a obtenção de benefícios previdenciários, com o nome de cidadãos fictícios, por meio desses documentos falsos. Foram identificadas as atuações de pelo menos três procuradores no esquema. Apenas um deles tinha 22 benefícios cadastrados para seu endereço residencial, todos com documentos que não foram encontrados nas bases de dados do órgão de identificação civil do Rio, o Instituto Félix Pacheco. Trinta e três benefícios irregulares foram identificados durante a investigação, o que provocou prejuízo de R$ 1,99 milhão aos cofres públicos. Estima-se que a suspensão desses benefícios resulte em economia de R$ 3,23 milhões. A operação é coordenada pela Força-Tarefa Previdenciária, que é integrada pela Secretaria de Previdência do Ministério da Economia, pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. (ABr)
05/04/2019

Polícia Civil do DF prende dois suspeitos de fraudes contra o BRB

Acesso a dados pessoais

Polícia Civil do DF prende dois suspeitos de fraudes contra o BRB

Segundo as investigações, mais de 600 ações fraudulentas geraram prejuízo de R$ 800 mil

Duas pessoas foram presas na manhã desta sexta (5) em operação da Polícia Civil do Distrito Federal contra um esquema de fraudes bancárias no Banco de Brasília (BRB). Os investigadores apontam para mais de 600 fraudes, que somariam um prejuízo de R$ 800 mil. Os agentes cumprem ainda cinco mandados de busca e apreensão em Planaltina, Paranoá e Lago Norte. De acordo com as investigações, o grupo criminoso enviava um SMS para o celular da vítima pedindo a atualização do cadastro junto ao banco. Ao clicar no link, a vítima tinha acesso a uma página falsa do BRB, onde preenchia dados como senhas e outras informações bancárias. Com a posse desses dados, o grupo realizava transferências pela internet para outras contas ligadas ao esquema. Para lavar o dinheiro, os criminosos realizavam saques, pagavam boletos e faziam compras em estabelecimentos comerciais que colaboravam com o esquema.