Perspectivas negativas

Bovespa

Onda de pessimismo derruba a bolsa e faz o câmbio disparar
15/05/2019

Dólar volta a encostar em R$ 4 e fecha no maior valor em sete meses

Perspectivas negativas

Dólar volta a encostar em R$ 4 e fecha no maior valor em sete meses

Onda de pessimismo derruba a bolsa e faz o câmbio disparar

Em um dia de tensões no mercado financeiro, a bolsa de valores caiu e a moeda norte-americana fechou no maior nível em sete meses. O dólar comercial no encerramento desta quarta-feira (15) foi vendido a R$ 3,996, com alta de R$ 0,02 (0,51%). Esse foi o maior valor de fechamento desde 1º de outubro, semana do primeiro turno das eleições, quando a cotação tinha atingido R$ 4,018. Pela manhã, o dólar comercial ultrapassou a barreira de R$ 4. Na máxima do dia, por volta das 10h, chegou a ser vendido a R$ 4,02. No início da tarde, a cotação desacelerou, ficando em torno de R$ 3,99. Ibovespa O nervosismo também refletiu-se no mercado de ações. O Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou o dia com queda de 0,51% aos 91.623 pontos. Esse é o nível mais baixo em quatro meses e meio, desde 3 de janeiro. Na ocasião, o indicador tinha encerrado em 91.564 pontos. Num dia de protestos contra o contingenciamento (bloqueio) de verbas na educação, o mercado financeiro também prestou atenção à divulgação do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). O indicador, que funciona como uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país), encolheu 0,68% no primeiro trimestre de 2019 contra o último trimestre de 2018. Cenário externo No cenário externo, as vendas no comércio nos Estados Unidos caíram 0,2% em abril. Paralelamente, as vendas e a produção industrial na China registraram desaceleração. Os dois países atravessam uma escalada de tensões comerciais, após os Estados Unidos terem sobretaxado produtos chineses em US$ 200 bilhões. No início da semana, o país asiático informou que aplicarão tarifas sobre US$ 60 bilhões em mercadorias norte-americanas a partir de junho. (ABr)
24/03/2019

Com reforma da Previdência aprovada, Bovespa deve bater 130 mil pontos

Reforma da Previdência

Com reforma da Previdência aprovada, Bovespa deve bater 130 mil pontos

B3, ex-Bovespa, deve superar 130 mil pontos se tudo der certo na Câmara

Após uma semana de altos e baixos na Bolsa de Valores (B3), ex-Bovespa, que chegou a bater o recorde histórico de alta de 99.994 e também ultrapassou a marca simbólica dos 100 mil pontos, analistas de mercado apostam que a B3 deve ultrapassar a marca dos 130 mil pontos, talvez 140 mil, com a aprovação da reforma da Previdência. Apesar da oscilação negativa na semana passada, o movimento da bolsa é 10% maior que o último pregão de 2018. No último pregão de 2018, o Ibovespa, índice da Bolsa de Valores, fechou em 87,8 mil pontos. Em 2017 não passou de 76 mil. O primeiro pregão de 2019 já registrou mais de 91 mil pontos e, mesmo após a queda com a prisão de Temer, não voltou a esse patamar. Em 2014, reeleição da petista Dilma, por exemplo, o Ibovespa fechou o ano em 50.144. Já no primeiro pregão do ano caiu para 48.512.
17/01/2019

Bovespa supera 95 mil pontos e renova máxima histórica

Dólar sobe

Bovespa supera 95 mil pontos e renova máxima histórica

Dólar sobe e fecha cotado a R$ 3,7480, em meio a cautela com exterior

O Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, a B3, subiu 0,94% e e atingiu os 95.284 pontos nesta quinta-feira, 17, renovando máxima histórica, em meio a otimismo de investidores com a reforma da Previdência e notícias de que outras pautas liberais do governo Bolsonaro seguirão no debate. Uma melhora no cenário externo ao longo do pregão também ajuda o mercado local. Ações de Petrobras, Vale e do setor financeiro puxam a alta do índice. O governo afirma que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) embarcará para o Fórum Econômico Mundial, em Davos, já com um texto para analisar. O evento ocorre na próxima semana. No meio da tarde, a agência de notícias Bloomberg noticiou também que Paulo Guedes apresentará, no mesmo evento, o plano de privatizações do governo. No ano, a bolsa de valores já acumula alta de 8,49%. O dólar, que avançou quase 1% ante o real nesta quinta-feira, perdeu força e fechou cotado a R$ 3,7480 (+0,32%). O dia foi negativo para emergentes, com a maioria das moedas perdendo valor para a moeda norte-americana.
15/01/2019

Otimismo no mercado: analistas já preveem Bovespa a 130 mil pontos

Otimismo

Otimismo no mercado: analistas já preveem Bovespa a 130 mil pontos

Bovespa já subiu 7% nos primeiros dias do ano: é a euforia

O otimismo que tomou conta do mercado financeiro com os rumos do governo Bolsonaro já leva analistas a preverem, ainda com cautela, a possibilidade do índice da Bolsa de Valores em 130 mil pontos. “Está se encaixando”, diz analista ao lembrar que a Bovespa subiu quase 7% desde o início de 2019 e 12% desde o 2º turno das eleições, além das quedas do dólar e dos combustíveis, já sentidas na economia. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. O índice Bovespa subiu de 85.700 pontos na véspera da eleição para 87.800 pontos no último dia útil de 2018 e fechou em 94.500 ontem. O dólar, que fechou 2018 valendo R$ 3,87 seguiu ladeira abaixo desde então e iniciou a semana cotado a R$ 3,69; queda de 4,4% no período. Em meio a mudanças na Petrobras, até o preço da gasolina também caiu e já está abaixo de R$ 3,70 em várias cidades, como Brasília.