Economia

black friday

De acordo com a pesquisa, o comércio eletrônico ainda é o mais beneficiado com a Black Friday
07/11/2018

Vendas para a Black Friday podem crescer 5%, diz pesquisa

Economia

Vendas para a Black Friday podem crescer 5%, diz pesquisa

De acordo com a pesquisa, o comércio eletrônico ainda é o mais beneficiado com a Black Friday

Uma pesquisa realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo) mostra que as vendas para a Black Friday podem crescer até 5% durante o mês de novembro e nos dias próximos a data, que acontece no final do mês. Para 44% das CLDs (Câmaras de Dirigentes Lojistas) entrevistadas, o crescimento das vendas pode ser de 5%, em contrapartida 38% acredita em até 3% de aumento em comparação ao ano passado. A pesquisa revela que, com a demanda reprimida em função da crise, o consumidor busca promoções efetivas para voltar a comprar. De acordo com a pesquisa, o comércio eletrônico ainda é o mais beneficiado com a Black Friday, visto que a facilidade da tecnologia ajuda na hora da compra online. Além disso, as grandes redes também possuem maior capital e poder de negociação para promover descontos. “A economia atual pode influenciar na decisão de compra dos consumidores, porém a Black Friday chega também para estimular uma antecipação das compras natalinas. O setor de eletroeletrônicos é um dos mais beneficiados com a data” afirma o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff. Para o presidente da CDL de Diadema, José Manuel Vieira de Mendonça, a Black Friday e o Natal são boas oportunidades para ajudar nas vendas. “O Natal ainda se mantém no topo como melhor data para as vendas do varejo. Isso se dá principalmente pelos eventos empresariais e familiares, como amigo secreto e lembrancinhas. É uma forma de trazer aquecimento para as vendas normais da época”, explica. Interior de São Paulo Mesmo que a Black Friday seja mais popular no comércio eletrônico, a pesquisa traz dados de expectativas de vendas de outras regiões do estado, como cidades do interior. Para o presidente da CDL de Ribeirão Preto, Paulo César Garcia Lopes, o consumidor está em busca de promoções efetivas e, para 2018, a pesquisa de preços será a tônica para que as vendas sejam positivas. “Percebemos que esta data veio para ficar e há muito apoio da mídia. Desta forma, a Black Friday acaba complementando o movimento de fim de ano. Além disso, com o 13º salário, o consumidor consegue se planejar melhor para fazer suas compras”, afirma. Para o presidente da CDL de Bauru, Odair Secco Cristovam, o comércio de móveis, vestuários, eletrônicos e eletrodomésticos podem se beneficiar mais com a Black Friday. “Vende-se muito para esta data, mas o Natal ainda tem mais representatividade no interior junto com o atendimento presencial, que é muito valorizado”, afirma. Litoral Para as cidades da baixada, a Black Friday pode não apresentar aumento de vendas. De acordo com a diretora da CDL de Bertioga, Adriana Dias Hauschildt, a cidade é uma das que está iniciando na data. Já para o diretor de marketing da CDL Santos Praia, Zerri Torquato, a região pode ter um crescimento de até 3%. “O comércio eletrônico tem mais margem para aplicar descontos. Mas, por outro lado, as lojas físicas também podem trabalhar neste sentido, para demonstrar as vantagens e potencializar suas vendas”, defende.
02/12/2013

Black Friday brasileira movimenta R$ 770 milhões em 2013

Comércio

Black Friday brasileira movimenta R$ 770 milhões em 2013

O valor representa um aumento de 217% quando comparado com a edição anterior

A Black Friday deste ano movimentou R$ 770 milhões. O valor representa um aumento de 217% quando comparado com a edição de 2012, um faturamento recorde para um único dia. A informação é da empresa E-bit, especializada em informações do comércio eletrônico. O estudo, divulgado nesta segunda-feira (2), traz que a previsão inicial de vendas era de R$ 390 milhões para o e-commerce, número que foi superado às 17h de sexta. Por conta da Black Friday, foram realizados 1,950 milhão de pedidos via internet no Brasil, número cinco vezes maior se comparado com um dia normal. O valor médio das compras foi de R$ 396 e a categoria mais vendida foi telefonia/celulares.
29/11/2013

Começa a “Black Friday”, tudo pela metade do dobro

"Black Fraude" brasileira

Começa a “Black Friday”, tudo pela metade do dobro

As lojas participantes estão concentradas no site Blackfriday.com.br.

O comércio brasileiro deu início hoje à quarta edição da “Black Friday”, mais conhecida como ?Black fraude?, já que tudo é vendido pela metade do dobro ? ou seja ? no preço normal. Ainda assim, o evento faz sucesso entre os brasileiros e deve movimentar R$ 390 milhões para o varejo digital, 60% mais do que na versão do ano passado. São, ao todo, 120 lojas do e-commerce que participam da ?Black Friday? brasileira. Elas concentram as ofertas no site Blackfriday.com.br.