Dieese

Belo Horizonte

As altas mais expressivas foram em Belo Horizonte (7,81%), São Luís (6,44%), Campo Grande (6,05%) e São Paulo (5,68%)
06/12/2018

Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras

Dieese

Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras

As altas mais expressivas foram em Belo Horizonte (7,81%), São Luís (6,44%), Campo Grande (6,05%) e São Paulo (5,68%)

O preço dos alimentos da cesta básica aumentou em 16 das 18 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos ( Dieese). As altas mais expressivas foram em Belo Horizonte (7,81%), São Luís (6,44%), Campo Grande (6,05%) e São Paulo (5,68%). Houve queda em Vitória (-2,65%) e Salvador (-0,26%). A cesta mais cara foi a de São Paulo (R$ 471,37), seguida pela de Porto Alegre (R$ 463,09), Rio de Janeiro (R$ 460,24) e Florianópolis (R$ 454,87). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 330,17) e Natal (R$ 332,21). Durante o ano de 2018, todas as capitais acumularam alta, com destaque para Campo Grande (14,89%), Brasília (13,44%) e Fortaleza (12,03%). De outubro a novembro deste ano, os alimentos que apresentaram alta na maior parte das capitais pesquisadas foram tomate, batata, óleo de soja, pão francês e carne bovina de primeira. Já o leite integral teve queda de preços em 16 capitais. Com base nesses valores, o Dieese estimou em R$ 3.959,98 o salário mínimo necessário para a uma família de quatro pessoas no mês de novembro, o equivalente a 4,15 vezes o mínimo atual, de R$ 954. Em outubro, o salário mínimo foi estimado em R$ 3.783,39. O tempo médio que um trabalhador levou para adquirir os produtos da cesta básica, em novembro, foi de 91 horas e 13 minutos. Em outubro de 2018, ficou em 88 horas e 30 minutos. (ABr)
09/11/2018

Advogado preso jogou dinheiro na privada após chegada da Polícia Federal

Operação Capitu

Advogado preso jogou dinheiro na privada após chegada da Polícia Federal

Mateus Gomes é um dos alvos da Operação Capitu, que investiga esquema de corrupção no Ministério da Agricultura

Preso nesta sexta-feira, 9, na Operação Capitu, o advogado Mateus de Moura Lima Gomes jogou dinheiro na privada quando a Polícia Federal chegou em sua casa no condomínio Vale do Sereno, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a PF, ele tentou se desfazer de cerca de R$ 3 mil. Gomes foi diretor vice-presidente da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Além dele, foram presos na operação o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (MDB), o empresário Joesley Batista, dono da JBS, Ricardo Saud, ex-executivo da J&F, Neri Geller, deputado federal eleito pelo PP de MT e ministro da Agricultura de março de 2014 a dezembro de 2015 e mais 12 pessoas. Desdobramento da Lava Jato, a Operação Capitu investiga suposto esquema de corrupção no Ministério da Agricultura durante o governo da presidente Dilma Rousseff. A operação é baseada na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Segundo as investigações, havia um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura para beneficiar políticos do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, que pertencem aos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de medidas para beneficiar as empresas do grupo.
04/08/2018

Presidente do PSB quase perdeu a carona de jatinho na volta a Brasília

Eleições 2018

Presidente do PSB quase perdeu a carona de jatinho na volta a Brasília

Carlos Siqueira teve de ir a BH explicar acordo PSB-PT

O pernambucano Carlos Siqueira, presidente do PSB, só não ficou sem ter como voltar a Brasília porque o ex-prefeito de Belo Horizonte, que o havia mandado buscar, educado, fez seu jatinho levá-lo de volta. Siqueira alegava não haver voo disponível, quarta, para ir a BH explicar estranha aliança com o PT que só beneficia, no PSB, Paulo Câmara, governador de Pernambuco, porque tenta afastar da disputa a principal ameaça à sua reeleição: Marília Arraes (PT), neta de Miguel Arraes. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. A reunião entre Siqueira e Lacerda foi péssima, segundo pessoas próximas ao ex-prefeito de BH, que não escondia sua indignação. Feita para Paulo Câmara, a aliança PSB-PT desagrada Márcio Lacerda e os governadores Márcio França (SP) e Rodrigo Rollemberg (DF). O acordo provinciano pode levar à implosão do PSB em nível nacional segundo temem parlamentares boquiabertos com a desinteligência.
19/06/2018

De novo, Ciro se irrita e sai sob vaias de congresso de prefeitos mineiros

Um candidato irascível

De novo, Ciro se irrita e sai sob vaias de congresso de prefeitos mineiros

Ele não gosta de perguntas dos prefeitos e abandona evento

O pré-candidato a presidente Ciro Gomes voltou a perder as estribeiras e saiu vaiado do 35º Congresso da Associação Mineira de Municípios, após abandonar o evento por não concordar com o formato das palestras, por se sentir incomodado com as perguntas e após bater boca com os prefeitos presentes. Foi embora sob vaias. ​Quando abandonava o palco, Ciro ouviu gritos de “babaca” e, à saída, ainda acusou os prefeitos presentes de serem “a turma do Bolsonaro”. Ao decidir ir embora, o pré-candidato presidencial do PDT afirmou: “Escuta, senão eu me retiro. Eu não sou demagogo​. ​Eu quero governar o Brasil para restaurar a autoridade dessa baderna que está acontecendo no nosso país. Quero consertar o Brasil restaurando a autoridade”. Nem sequer usou os cinco minutos para as considerações finais. Acrescentou apenas “Muito obrigado a todos”.