'Tutti buona gente'

Alan García

Odebrecht com Lula e García, ex-presidentes que tinha no bolso
17/04/2019

Odebrecht é o que havia em comum entre Lula e Alan Garcia, que subornou

'Tutti buona gente'

Odebrecht é o que havia em comum entre Lula e Alan Garcia, que subornou

Odebrecht com Lula e García, ex-presidentes que tinha no bolso

O empresário Marcelo Odebrecht, representando a empreiteira que mais corrompeu nas Américas, é o que havia de comum entre os ex-presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Peru, Alan García. A diferença é o destino: enquanto o brasileiro está preso e fazendo pose de “injustiçado”, o outro se matou de vergonha, com um tiro na própria cabeça, momentos antes de ser levado preso pela polícia peruana, nesta quarta-feira (17). Ambos são uma prova de a corrupção é suprapartidária: Lula se comporta como um populista de “esquerda”, enquanto García era apontado como populista de “direita”. Quando os três aparecem juntos, e ainda com fama de serem “simpáticos”, o flagrante da cena faz lembrar a expressão italiana que designava certos mafiosos:”tutti buona gente”. A foto registra o encontro dos dois ex-presidentes em Manaus, no Hotel Tropical, em de junho de 2010, ao lado de Marcelo Odebrecht, que mal esconde uma expressão debochada de quem conhece o caráter da dupla que corrompeu. Além de Lula e García também se vê na fotografia o então ministro da Defesa Nelson Jobim. Nesta quarta, o diretor do hospital para onde foi levado o ex-presidente peruano, Enrique Gutiérrez, informou que havia dois orifícios de bala no crânio, “um de entrada e um de saída”. O atual presidente do Peru, lamentou a morte e decretou luto oficial de três dias no país.
17/04/2019

Ex-presidente do Peru Alan García morre após dar tiro na cabeça ao ser preso

Acusado de corrupção

Ex-presidente do Peru Alan García morre após dar tiro na cabeça ao ser preso

García era investigado por receber dinheiro ilegal da Odebrecht

O ex-presidente do Peru Alan García morreu na manhã desta quarta (17) quando ia ser detido pela polícia em sua casa no bairro de Miraflores, em Lima. García deu um tiro na cabeça e chegou a ser levado ao Hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana, para ser submetido a cirurgia, mas não resistiu. De acordo com informações médicas, o ex-presidente, 69 anos, teve três paradas cardíacas e foi reanimado. Ele deu entrada no hospital às 6h45, com perfurações de entrada e saída de bala no crânio. A Justiça peruana havia determinado sua prisão por dez dias. Ele é acusado de corrupção em caso envolvendo a Odebrecht e recebimento de dinheiro para a campanha eleitoral de 2006. A empreiteira brasileira é investigada no Peru por pagamento de propina em troca de contratos de infraestrutura no país. O presidente do Peru, Martín Vizcarra, lamentou no Twitter a morte de Alan García. “Consternado com a morte do ex-presidente. Envio minhas condolências à família e pessoas queridas”. (Com informações da Agência Brasil)