Defendendo prerrogativas

advogados

Advogado afirmou que seu trabalho ainda defenderá atividade e honorários advocatícios
02/01/2019

Novo presidente da OAB Alagoas reclama da morosidade do Judiciário

Defendendo prerrogativas

Novo presidente da OAB Alagoas reclama da morosidade do Judiciário

Advogado afirmou que seu trabalho ainda defenderá atividade e honorários advocatícios

O novo presidente da Seccional Alagoana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AL), Nivaldo Barbosa Jr., tomou posse na noite de ontem (1º), na sede da instituição, no bairro de Jacarecica, em Maceió (AL), e prometeu combater a lentidão do Poder Judiciário e lutar pela melhor remuneração na advocacia. Após empossar a diretoria, a Caixa de Assistência, Conselheiros Federais e Estaduais, Nivaldo Barbosa Jr. realizou um breve discurso, onde destacou que sua atuação à frente a OAB-AL, a partir do primeiro minuto como presidente da Ordem, será defender a atividade do advogado, principalmente em relação à morosidade do judiciário e honorários advocatícios. “Vamos enfrentar como nunca a questão da morosidade do Judiciário e vamos exigir respeito aos nossos honorários. É um absurdo o que tem sido feito quanto à remuneração da advocacia. Também vamos aparelhar as prerrogativas e ter um olhar especial para a jovem advocacia e para os profissionais que atuam no interior do Estado. 2019 é um ano de muito trabalho, que vai começar imediatamente.”, concluiu. Além de Nivaldo Barbosa Jr., tomaram posse o vice-presidente, Vagner Paes, novos diretores, conselheiros seccionais, e presidentes e diretores da Caixa de Assistência dos Advogados (CAA) e das cinco subseções. A solenidade administrativa reuniu autoridades, familiares e servidores da Ordem. 24h pelas prerrogativas Ao transmitir o cargo para Nivaldo, a ex-presidente da OAB e aliada de seu sucessor, Fernanda Marinela, destacou a evolução da Ordem nos últimos anos e da união dos advogados para alcançar o patamar que a instituição está neste momento. “Com a união de todos que fazem a OAB, conseguimos alcançar todos os nossos objetivos. Elevamos a Ordem para um patamar de importância na sociedade alagoana. Defendemos os interesses da sociedade e dos advogados. Pela primeira vez no Brasil, uma comissão de prerrogativas atuou 24 horas, defendendo os advogados em qualquer lugar em que houve o desrespeito às nossas atividades. Agradeço a todos por tudo que fizemos nesse período e, principalmente ao Nivaldo, que por dois triênios, comandou a Caixa de Assistência e, agora, presidirá a OAB-AL”, disse Marinela. Ao fim da cerimônia, Nivaldo Barbosa Jr. convidou a todos para participarem da posse solene, que será realizada no próximo dia 28, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, no bairro de Jaraguá. (Com informações da Ascom da OAB Alagoas)
20/12/2018

Defesa se diz surpresa e indignada com busca na casa da mãe de Aécio

Operação Ross

Defesa se diz surpresa e indignada com busca na casa da mãe de Aécio

O advogado Alberto Toron disse que a busca teria sido motivada por uma “denúncia anônima” por ocultação de provas

A defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse nesta quinta-feira (20) que recebeu com “surpresa e indignação” a notícia de busca na residência da mãe do senador, Inês Maria Neves Cunha, “seja pela completa desnecessidade e descabimento da medida, seja pela total desvinculação de sua mãe com os fatos apurados”. Em nota à imprensa, o advogado Alberto Toron disse que a busca teria sido motivada por uma “denúncia anônima” de que o imóvel teria recebido caixas com documentos no dia da Operação Ross e que esse relato é mentiroso. “É lamentável que a intimidade de uma senhora seja afrontada dessa forma, sem que haja nada que justifique”, protestou Toron. Toron ressaltou que Aécio Neves sempre esteve à disposição de todas as autoridades e que o senador é o maior interessado na elucidação dos fatos. Disse ainda que o político aguarda a finalização célere das investigações para que fiquem provadas que as acusações são falsas. Operação Ross Hoje (20), a Polícia Federal cumpriu três mandados de busca e apreensão em endereços ligados à família do senador tucano. Além das casas da mãe de Aécio, e de seu primo Frederico Pacheco, também foram feitas buscas em uma empresa de comunicação, que seria de Pacheco em sociedade com a jornalista Andrea Neves, irmã de Aécio. Esta é segunda fase da Operação Ross, que investiga suposta propina do Grupo J&F a Aécio entre 2007 e 2014. Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após solicitação da Polícia Federal. A primeira fase da operação, deflagrada no dia 11 de dezembro, fez buscas em endereços ligados ao senador, à Andréa Neves e ao deputado federal Paulinho da Força (SD-SP). (ABr)
31/10/2018

Fachin nega pedido para suspender ação penal de Lula em caso Odebrecht

Não cansa de tentar

Fachin nega pedido para suspender ação penal de Lula em caso Odebrecht

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou uma liminar (decisão provisória) pedida pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que fosse suspensa uma das ações penais em que é acusado pelo suposto recebimento de propina da empresa Odebrecht.
15/09/2018

Deputado Onyx vai à PGR contra advogados de criminoso que atacou Bolsonaro

'Organização criminosa'

Deputado Onyx vai à PGR contra advogados de criminoso que atacou Bolsonaro

Ele alega que advogados escondem quem os financia

O deputado Onyx Lorenzoni protocolou na Procuradoria-Geral da República (PGR), na sexta-feira, 15, uma representação contra os advogados de Adélio Bispo de Oliveira – o homem que deu uma facada na barriga do deputado Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República. Aliado de Bolsonaro, Onyx e seu advogado Adão Paiani questionam o fato de os advogados de Adélio não declararem quem banca os honorários, o que colocam suspeitas sobre os serviços. Adélio está desempregado e conta com quatro profissionais dos mais caros do mercado em sua defesa. Para Onyx, Zanone Manuel de Oliveira Júnior, Fernando Costa Oliveira Magalhães, Marcelo Manoel da Costa e Pedro Augusto de Lima Felipe e Possas atuam no caso não apenas na condição de defensores do autor do atentado, “mas como garantes de uma organização criminosa responsável pela prática de um atentado de natureza política”. “A conduta, atuação, comportamento, declarações e contradições dos ora representados frente ao episódio em tela – inédito na história republicana brasileira, onde um candidato a Presidente da República é vítima de uma tentativa de assassinato – levanta suspeitas plausíveis”, escrevem. O pedido pede para que, se comprovadas ilegalidades, os advogados respondam pelas mesmas acusações de Adélio, como organização criminosa, crimes contra a segurança nacional, terrorismo e contra a ordem tributária. Onyx também enviou representação à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), nesta semana, contra os advogados. Bolsonaro ainda encontra-se internado após duas cirurgias. Segundo boletim médico, o candidato está estável e não apresenta complicações. O atentado contra o deputado aconteceu no último dia 6 de setembro.