Mais Lidas

Lula preso

TSE nega que ‘representante’ de Lula participe de debates na eleição

Negado pedido para representante de Lula em debates eleitorais

acessibilidade:
PT sonhava em ter um representante do condenado no ciclo de entrevistas com pré-candidatos Foto: Antonio Cunha.

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Geraldo Og Fernandes, negou um pedido de liminar do PT para que fosse garantida a participação de um representante do ex-presidente Lula, nos debates entre pré-candidatos ao Palácio do Planalto. Lula está preso há cerca de um mês, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O ministro acredita não haver motivo, urgência, para a concessão de liminar. “O fato de o ciclo de entrevistas já ter se iniciado não impede que, em caso de procedência desta representação, venha ser garantido à agremiação o direito de indicar alguém para ser entrevistado no lugar de seu pré-candidato”.

Mesmo depois da prisão de Lula, o PT não desiste, e quer manter o ex-presidente como pré-candidato e registrá-lo para concorrer as eleições de outubro. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann continua com o discurso de que “Lula é nosso candidato, está no gozo dos direitos políticos e tem o dobro das intenções de voto do segundo colocado em qq pesquisa. Impedi-lo de expressar suas ideias e propostas para o Brasil, através de seu partido, é embuste pré eleitoral”.

Entretanto, Og Fernandes ao analisar o caso, ressaltou que não existe dispositivo legal que garanta a participação de representantes na hipótese de impossibilidade de participação de determinado candidato.

O ex-presidente do TSE e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes destacou em entrevista, no último sábado (5) para o jornalista José Datena, que Lula não poderá participar desse pleito. “O próprio Lula, que é um animal político, sabe que sua candidatura é inviável”.

Lula preso

O petista está preso desde o dia 7 de abril, na sede da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre a pena de 12 anos e um mês pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP).