Mais Lidas

Presidente da Câmara

Rodrigo Maia defende agenda de votações pós-reforma da Previdência

Maia ressaltou a importância de votações de pautas de temas como educação e saúde

acessibilidade:
Presidente da Câmara tem pesadelos sobre virar um boneco inflável em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Foto: Luis Macedo/ Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, reafirmou que apenas a aprovação da reforma da Previdência não resolve a crise econômica no Brasil. Ele defendeu uma agenda de votações que tenha como prioridades a educação e a saúde, mas também a alteração de marcos regulatórios que viabilizem a retomada dos investimentos privados no País. Maia participou da Convenção Nacional do Democratas e afirmou que, mais importante do que o partido estar alinhado ao governo, é apoiar as reformas econômicas.

“Estar ou não no governo é uma questão secundária em relação às reformas. Independentemente disso, a agenda econômica do governo tem apoio do Democratas, e a gente tem demostrado”, afirmou.

Maia disse que a Câmara tem seguido o calendário da reforma proposto e que os prazos estão sendo respeitados.

“A reforma sozinha não vai resolver o problema do desemprego, das desigualdades no Brasil, da falta de saneamento, para isso vamos precisar de uma agenda que passa pelo poder Executivo e passa pelo Legislativo”, defendeu.

No discurso, Rodrigo Maia defendeu o fortalecimento das instituições e disse que ninguém investe em um País que não tenha uma democracia forte. Segundo ele, os partidos políticos também são fundamentais para a democracia. Maia destacou a legitimidade e representatividade do poder Legislativo.

“Foram 97 milhões de votos dados a deputados e deputadas em 2018, a representação é tão forte quanto do poder Executivo. A política se faz a partir de partidos. Quando se trata de forma pejorativa os partidos, não está se enfraquecendo apenas um partido político, está se enfraquecendo a democracia brasileira, porque o Congresso Nacional tem como base a agenda dos partidos”, defendeu.(Com informações Agência Câmara)