Mais Lidas

Na Câmara

Para líder do Podemos, Reforma da Previdência não pode esperar

Nelto acredita que protelar votação será demonstrar que os interesses partidários estão 'acima dos interesses do Brasil'

acessibilidade:
O líder do Podemos ressalta que não é possível esperar mais Foto: Cleia Viana

Para o líder do Podemos na Câmara dos Deputados, José Nelto (GO) é necessário que a PEC da Previdência seja votada nesta terça-feira (2), caso contrário, será uma clara demonstração de que estão querendo colocar os interesses partidários acima dos interesses do Brasil. “A economia está parada, o desemprego aumenta e a única garantia que podemos sair dessas dificuldades é a aprovação da reforma da Previdência na Câmara e no Senado”.

O projeto ainda está na comissão especial, sendo assim, a expectativa é de que na sessão de amanhã ocorra a leitura do voto complementar do relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) e que na sequência ocorra a votação do relatório.

Nelto acredita que todas as negociações, que estão sendo feitas dentro dos limites republicanos, são necessárias para o andamento do projeto nas comissões, mas ressalta que “não é possível que as barganhas e artifícios do toma-lá-dá-cá emperrem o processo ainda na comissão especial”.

O deputado afirma que nos últimos dias tem mantido contato com outros líderes a fim de garantir a votação na comissão nesta terça. “Não podemos ficar reféns de interesses menores. Todos os esforços do nosso partido e de quem estar preocupado com o Brasil vão ser concentrados na votação dessa semana”.

Na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) destacou que aprovação do texto depende de uma articulação coletiva. “Ninguém é a favor da reforma, ela é necessária. O presidente tem papel nisso porque ajuda e o Parlamento comanda a votação, mas é uma participação coletiva. O parlamentar vota uma matéria dessa quando volta da sua base com a convicção de que seus eleitores compreendem a importância da reforma”.

Maia também afirmou que pretende votar a PEC no plenário da Casa até o final deste semestre, vale lembrar que o recesso parlamentar começa no dia 17 de julho. Amanhã ele estará reunido com governadores com a presença do relator Samuel Moreira.

Reportar Erro