Mais Lidas

Regulamento do Exército

Mourão diz que Pazuello sabe que foi erro participar de ato com Bolsonaro

Por ser general da ativa, ex-ministro da Saúde é proibido por regulamento do Exército de participar de manifestações políticas

acessibilidade:
Pazuello participa de ato ao lado de Bolsonaro. Foto: Fernando Frazão/ABr

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira, 24, que considera “provável” uma punição ao general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde Pazuello dentro do Exército, após sua participação em um ato político ao lado do presidente Jair Bolsonaro, neste domingo. De acordo com regulamento do Exército, é vedada a participação de militar em manifestação de cunho político.

“É provável que seja, é uma questão interna do Exército. Ele também pode pedir transferência para a reserva e atenuar o problema”, disse o Mourão, a jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto.

No Rio de Janeiro, Pazuello subiu no carro de som e fez um rápido discurso diante de apoiadores do presidente. O ex-ministro, Bolsonaro e aliados do presidente estavam sem máscara, o que é proibido no Rio.

Mourão informou que Pazuello tem a consciência que errou e que aguarda punição pelo Exército.

“Eu já sei que o Pazuello já entrou em contato com o comandante informando ali, colocando a cabeça dele no cutelo, entendendo que ele cometeu um erro”.

“Essa é uma questão interna do Exército que precisa ser resolvida por ele, de acordo com os nossos regulamentos. O regulamento disciplinar do Exército prevê que se avalie a transgressão cometida e que se aplique uma punição prevista para o caso”, falou Mourão, que é general da reserva. “Ele tem até 72 horas para apresentar suas razões de defesa e, a partir daí, o Comandante analisa, a luz de fatores agravantes e atenuantes e aí as punições vão de advertência até a prisão”.

Vídeos Relacionados