Mais Lidas

Jogando handebol

Líder da bancada alagoana rompe tendão e pede licença do cargo por duas semanas

Lesão no tendão de Aquiles ocorreu em jogo de handebol, e suplente não será convocado

acessibilidade:

Uma contusão durante uma partida de handebol no último domingo (30) causou o afastamento do coordenador da bancada de Alagoas no Congresso Nacional, Marx Beltrão (PSD-AL), que teve que tirar uma licença médica para tratar de um rompimento no chamado tendão de Aquiles. O deputado federal deve passar por cirurgia, mas não está prevista a posse de seu primeiro suplente, o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT-AL), porque o afastamento deve durar apenas duas semanas.

A ruptura do tendão de Aquiles provoca dor extrema e incapacidade utilizar a metade inferior da perna, de caminhar e outras funções, porque este é um dos mais importantes e resistentes tendões do corpo, sendo um dos responsáveis pelos movimentos de flexão do joelho e flexão do tornozelo.

“A lesão aconteceu em uma partida de handebol no final de semana. Devo me submeter a um pequeno procedimento cirúrgico para restabelecer o tendão. Neste período de aproximadamente duas semanas estarei impossibilitado de ir a Brasília e preciso de repouso para a recuperação plena, mas seguirei atuando mesmo à distância, sempre me manifestando nas redes sociais e articulando, de casa, ações em prol dos alagoanos e de Alagoas”, afirmou o parlamentar nesta terça-feira (02).

Na contusão neste tendão pode ocorrer desde um simples estiramento, passando pela lesão parcial ou total. Qualquer uma delas é debilitante e impossibilita andar com conforto e segurança, correr, ficar na ponta dos pés ou praticar qualquer tipo de esporte.

O Regimento Interno da Câmara dos Deputados pervê, em seu Art. 241, que a Mesa Diretora da Casa “convocará, no prazo de quarenta e oito horas, o Suplente de Deputado” em casos como o de “licença para tratamento de saúde do titular, desde que o prazo original seja superior a cento e vinte dias”. Como o atestado médico de Marx Beltrão pede somente duas semanas de afastamento para sua reabilitação, não será necessário que posse do suplente no cargo.

Reportar Erro