Mais Lidas

PNUD

IDH do Brasil registra leve crescimento, mas mulher ganha 42% menos que homem

É o registra o relatório do PNUD, a ser lançado nesta segunda-feira (9), às 10h

acessibilidade:

O Brasil aparece em 79º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) que será divulgado nesta segunda-feira (9) pelo escritório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil, relativo ao ano de 2018. Ainda não há levantamento fechado sobre  IDH do País no governo Jair Bolsonaro.

O valor do IDH do Brasil ficou em 0.761, mostrando que o desempenho brasileiro registrou leve crescimento em relação a 2017, quando o valor apontado foi de 0.76, mas, segundo o relatório, “sinaliza uma tendência de melhora constante desde o início da série histórica”, em 1990.

Renda da mulher é 42% menor
Já no Índice de Desenvolvimento de Gênero registrou “desigualdade significativa” entre a renda de homens e mulheres. Segundo o relatório, a renda média das mulheres é 42% menor que a renda dos homens. isso acontece, segundo o levantamento, “mesmo as mulheres apresentando melhor desempenho na dimensão educação – fator-chave para o desenvolvimento de funções no trabalho”, seja lá o que isso signifique.

O documento do PNUD informa ainda que no Brasil apenas 15% das mulheres têm assento nas funções parlamentares, o que coloca o País atrás do Chile, Argentina. Uruguai e Paraguai.

Evento às 10h no Hotel B
O evento de lançamento do  “Relatório Global de Desenvolvimento Humano 2019 – Além da renda, além das médias, além do hoje: desigualdades no desenvolvimento humano no século XXI”, marcado para as 10h no auditório do B Hotel, em Brasília, terá a presença da representante-residente do PNUD no Brasil, Katyna Argueta, e de autoridades do governo, da sociedade civil, do setor privado, da academia, do corpo diplomático e de organismos das Nações Unidas.

A coordenadora da Unidade de Desenvolvimento Humano do PNUD no Brasil, economista Betina Barbosa, apresentará os resultados do relatório, entre eles, a atual situação do Brasil, conforme os indicadores de acesso a saúde, educação e distribuição de renda medidos até 2018.

Olhar mais profundo
Neste ano, o PNUD lançará um relatório que pensa o desenvolvimento para além das médias, além da renda e além do hoje e acredita que ele poderá contribuir de forma significativa para a formulação de políticas públicas no Brasil e no mundo.

O documento aponta que, apesar dos ganhos substanciais em saúde, educação e padrões de vida, as necessidades básicas de muitas pessoas permanecem não atendidas; paralelamente uma próxima geração de desigualdades se inicia.

Clima e Tecnologia
Duas mudanças são chave para o século XXI: a mudança global do clima e as transformações tecnológicas. Os desafios da mudança do clima atingem todas as pessoas, especialmente as mais pobres; enquanto os avanços tecnológicos podem deixar para trás grupos inteiros.

Desde o primeiro Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) no mundo, em 1990, o PNUD já lançou mais de 700 relatórios com temas fundamentais para a vida de milhões de pessoas.