Mais Lidas

Operação Descontaminação

Ex-ministro Moreira Franco também deixa prisão no Rio de Janeiro

Ele foi preso na sexta-feira na mesma operação que também prendeu o ex-presidente Michel Temer

acessibilidade:
Moreira Franco deixa Unidade Prisional Especial em Niterói. Foto: Reprodução/GloboNews

Poucos minutos depois do ex-presidente Michel Temer no início da noite desta segunda-feira, 25, o ex-ministro da Casa Civil Moreira Franco também deixou a Unidade Prisional Especial da PM do Rio de Janeiro, em Niterói.

Temer, Moreira e outros cinco presos na Operação Descontaminação, desdobramento da Lava Jato tiveram habeas corpus acatados pelo desembargador Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, na tarde de hoje.

A revogação da prisão preventiva é liminar —ainda pode cair, caso o corpo de juízes assim determine.

Moreira Franco permaneceu preso por quatro noites na unidade prisional, que também abriga o ex-governador Luiz Fernando Pezão.

Moreira foi preso no bairro da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, perto do aeroporto Tom Jobim, o Galeão.

Athié argumentou na decisão desta segunda que todos os pedidos foram feitos até 17h de sexta-feira, 22, mas que não houve tempo hábil de tomar uma decisão ainda na semana passada. “Não tinha, assim, a menor condição de, naquela tarde, decidir com segurança”, escreveu.

O desembargador diz ainda que aproveitou o fim de semana para ler todos os documentos. Na quarta, a Primeira Turma Especializada julgaria o caso.

“Ao examinar o caso, verifiquei que não se justifica aguardar mais dois dias para decisão, ora proferida e ainda que provisória, eis que em questão a liberdade. Assim, os habeas-corpus que foram incluídos na pauta da próxima sessão, ficam dela retirados”.

Temer é acusado de liderar uma organização criminosa que teria negociado R$ 1,8 bilhão em propina

A operação teve como base a delação do dono da Engevix e investigações sobre obras da usina nuclear de Angra 3.

A defesa diz que nada foi provado contra Temer e que a prisão constitui um “atentado ao Estado democrático de Direito”