Mais Lidas

Corrupção eleitoral

Empresário admite caixa 2 em eleição de prefeito de Guarulhos

Documentos revelam transações de R$ 150 mil de uma pessoa física e uma loja de óleos essenciais para a conta do portal

acessibilidade:
(Foto: Reprodução)

Um ex-gestor de um portal noticioso de Guarulhos admitiu a prática de caixa dois em benefício da campanha que elegeu atual prefeito da cidade, Gustavo Henric Costa, o Guti (PSB), em 2016. Ele cita um suposto acerto entre ex-administradores do veículo de imprensa e um ‘assessor’ do então candidato para que o veículo fosse pago ‘por fora’ pela contratação e divulgação de duas pesquisas eleitorais durante o segundo turno. As informações são do Jornal O Estado de S.Paulo.

Documentos obtidos pela reportagem revelam transações de R$ 150 mil de uma pessoa física e uma loja de óleos essenciais para a conta do portal no segundo turno das eleições de 2016.

Filiado ao PSB por influência do governador Márcio França, Guti derrotou Eli Corrêa Filho (DEM) com 83,5% dos votos no segundo turno das eleições de 2016. A cidade vivia uma hegemonia petista desde 2001 – o PT sequer foi ao segundo turno.

Em outubro daquele ano, o portal noticioso GuarulhosWeb imprimiu edições impressas que traziam resultados de pesquisas eleitorais. O veículo contratou duas pesquisas da empresa Interativa no segundo turno que já demonstravam a iminente vitória de Guti. Uma delas, publicada no dia 30, atribuía ao então candidato 82,2% dos votos. As pesquisas foram registradas no TSE, conforme ressaltou o próprio Instituto.

Estadão obteve acesso a um extrato da conta bancária do jornal com transações de 2016. No documento, consta a contratação de uma gráfica, pelo valor de R$ 11 mil, além de dois depósitos de R$ 10 mil e R$ 15 mil à Interativa Pesquisas, em outubro.

O jornal recebeu, ainda naquele mês, quatro transferências que somam o valor de R$ 130 mil da loja de essências Arte Feita, sediada em São Bernardo do Campo, e outros R$ 20 mil de uma pessoa física de nome Rosana, que não foi identificada pela reportagem. Em datas próximas aos repasses, há transferências de valores semelhantes para destinatários desconhecidos.

Questionado pela reportagem sobre os pagamentos da loja de essências e da pessoa física à época da campanha, o empresário Décio Pompeo Jr., que fazia parte da gestão do jornal, admitiu ter recebido um pedido do atual diretor da autarquia municipal PROGUARU, Léo Lago, ‘que era assessor do Guti’, para o custeio das pesquisas.

“Fomos chamados para um papo com o Léo Lago, que era assessor do Guti, para que a gente fizesse 100 mil jornais e uma pesquisa. Ele disse que eles pagariam depois. Dessa negociação, ficou acertado que haveria duas vezes a impressão de 100 mil jornais e o custeio e reprodução de duas pesquisas. Nós fizemos isso. Entrou o dinheiro na conta do Guarulhos Web”.

“Tenho ciência de que isso foi caixa dois para a campanha do Guti e reafirmaria minha versão às autoridades responsáveis por investigar o caso”, afirma Décio Pompeo Jr., que esteve à frente do GuarulhosWeb.

Pompeo afirma que seu ex-sócio Ernesto Zanon, atual diretor de Comunicação da Prefeitura, fez a ‘tratativa para operacionalizar os pagamentos ao GuarulhosWeb’. No ano seguinte à eleição, o portal foi vendido a novos proprietários.

Vídeos Relacionados