Mais Lidas

Redes sociais

Em post, Rosangela Moro diz que ‘atos têm consequências e cada um responde pelos seus’

A esposa do ex-ministro Moro publicou, neste domingo, um longo texto após o marido

acessibilidade:
A esposa do ex-ministro Sergio Moro postou sobre longo texto nas redes sociais. Foto: Reprodução.

A esposa do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, Rosângela Moro, publicou na noite deste domingo (26), no Instagram, uma foto com um longo texto falando sobre a situação no qual vive o marido após ele pedir demissão do cargo de ministro e realizar denúncias de tentativas de interferências do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Polícia Federal. 

No texto, Rosângela afirma que “lamenta que, em meio a uma gigante pandemia, o foco tenha sido desvirtuado, porque acredito que a vida precisa estar acima de tudo”. Ela ainda diz que é uma pessoa que lutou fortemente contra a corrupção sob a máxima de que a lei é para todos. 

O texto publicado por Rosângela Moro.

Rosângela defende a operação Lava Jato (no qual o marido esteve a frente na Justiça Federal em Curitiba antes de virar ministro) e diz que nunca ofendeu nenhuma autoridade do país, mesmo quando discordava. “Nunca insultei ou ofendi qualquer condenado quando meu marido era juiz. Atos têm consequências e cada um responde pelos seus”.

Ela ainda afirma que vivemos em tempos difíceis e que não poderia esperar outra atitude do marido. “Deixar o governo era a única eticamente aceitável”. Por fim, ela agradece aos amigos e familiares. 

O ex-ministro Sergio Moro respondeu a publicação com um emoticon de coração. 

Apoio a Bolsonaro

Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.
Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.
Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.
Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.
Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.
Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.
Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.
Manifestação em apoio ao presidente Bolsonaro.

Também neste domingo, mas pela manhã, manifestantes realizaram um ato a favor do presidente Bolsonaro e contra o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Batizado de “Marcha para Brasília”, o movimento levou, segundo os organizadores, três mil veículos e nove mil pessoas na Esplanada dos Ministérios. 

Como de costume dos últimos protestos em favor do presidente, os manifestantes realizaram uma carreata pelas ruas da capital federal e criticavam, além de Maia — no qual pediam a saída dele da presidência da Câmara — o presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP) e o ex-ministro Sergio Moro.

Reportar Erro